"Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos." (Salmo 119:10)

sábado, 4 de agosto de 2012

Andar com fé eu vou! - Retrô!


"Andar com fé eu vou." 

Assim começou a saga, com fé eu comprarei a passagem, com fé viajarei pela primeira vez de avião, com fé irei passar uma semana longe dos que amo, com fé, com fé, com fé... É fé mesmo?

O que eu chamo de fé é realmente fé? Onde ela se encaixa? O que a bíblia diz sobre isso? Essa autoridade merece minha obediência? Até que ponto devo ficar calada e quieta? Devo ficar calada e quieta? Quem foi Jesus? Quem é Jesus? Que Jesus você conhece? Nos questionamos e aprendemos o tempo todo em comunhão, com a intenção de levar Cristo (não sua religião nem sua denominação) aos que não O conhecem. Eu gostei! Parecia que tudo se resumia a um estudo uma ou duas vezes por semana, mas aí fui ao meu primeiro CF (Curso de Férias, uma espécie de treinamento) da região e SUSTO! UAU! Percebi a grandeza, a história, caiu a ficha do que é a MISSÃO.


Pensei em tantas pessoas que gostaria que estivessem lá comigo, vivenciando tudo aquilo, aprendendo, tendo seus paradigmas e preconceitos quebrados e como diria Carlos Queiroz "vivendo a humanidade"! Como não sabia o que me esperava (pelo menos não era o que eu pensava exatamente) foi tudo bem novo pra mim. Bem novo, bem forte e intenso. Eu ri, chorei e aprendi demais. Apaixonei-me.



Aprendi muito nestes sete dias. Uma das coisas que mais me tocou, e que mais me interessou também por eu ser estudante de psicologia, foi perceber o quanto as regras, os princípios e a educação são fortes. Às vezes exercem mais poder sobre uma pessoa do que a liberdade que Jesus Cristo dá a elas. Não que sejam ou não válidos. Isso não está em discussão. O que quero dizer é que puder ver e de certa forma sentir o quanto dói sermos tirados de nossa zona de conforto, o quanto dói sermos confrontados, como se ficássemos sem chão caso tirem do lugar que estava aquele conceito que aprendemos desde nossa infância. Forte. Muito forte. É doloroso se livrar dessas coisas, talvez "se livrar" seja uma expressão angustiante, vamos dizer... Doloroso "saber lidar" com isso tudo. Doloroso, mas importante. Importante questionar, importante perceber, importante querer saber o porquê, o como e o onde. Fé que pensa, razão que crê.




Assim como acredito que vários preconceitos tenham sido pelo menos aliviados, também acredito, falo por mim por exemplo, que muitos aprenderam a conviver com as diferenças. A ABU é um movimento Interdenominacional. Sabe o quanto manter isso assim custa? Não estamos ali para dizer se a Batista está certa, ou a Assembleia, ou a Presbiteriana. Estamos ali porque todos somos cristãos apaixonados e compromissados com uma ÚNICA causa, e o resto importa, mas não é o foco. Aliás, manter o foco foi outra coisa que tive que praticar.


Fé se pratica, calar se pratica, ouvir se pratica. Amar se pratica, se demonstra, se vive, se aprende... Apesar das diferenças de denominação, opinião e gênio mesmo, personalidade, todos somos filhos de Deus e uns errando, outros acertando, ainda assim todos somos aceitos pelo mesmo Pai Salvador. Juntos somos Igreja, e sabemos que "Não somos como Moisés, que colocava um véu sobre a face para que os israelitas não contemplassem o resplendor que se desvanecia. Na verdade a mente deles se fechou, pois até hoje o mesmo véu permanece quando é lida a antiga aliança. Não foi retirado, porque é somente em Cristo que ele é removido. De fato, até o dia de hoje, quando Moisés é lido, um véu cobre os seus corações. Mas quando alguém se converte ao Senhor, o véu é retirado. Ora, o Senhor é o Espírito e, onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade. E todos nós, que com a face descoberta contemplamos a glória do Senhor, segundo a sua imagem estamos sendo transformados com glória cada vez maior, a qual vem do Senhor, que é o Espírito." (2 Coríntios 3: 13-18).

E antes nunca essa palavra tinha sido tão forte pra mim, antes ela não fazia tanto sentido como faz pra mim hoje. A missão foi plantada no meu coração e espero realmente poder ser um instrumento na mão de Deus na evangelização das universidades, o trabalho pode ser difícil, mas Jesus nunca disse que seria fácil!

Fernando Costa, assessor integral da região Norte,
Marcos Augusto, da Aliança Bíblica de Moçambique
e Carlos Queiroz, pastor da Igreja de Cristo, autor do livro Ser é o Bastante

"Eu trabalho para que o coração deles se encha de coragem
e eles sejam unidos em amor e assim fiquem completamente
enriquecidos com a segurança que é dada pela verdadeira
compreensão do segredo de Deus. Esse segredo é Cristo, o qual é
a chave que abre todos os tesouros escondidos do conhecimento
e da sabedoria que vêm de Deus" 
(Colossenses 2:2 e 3)

Se você ficou curioso pra conhecer a ABUB- Aliança Bíblica Universitária do Brasil - pode ter certeza que provavelmente tem um grupo bem pertinho de você. Visite o site.

4 comentários:

Paiva JR disse...

Confronto. Acho que essa é uma palavra que caracteriza bem o CF ou mesmo a vida com Deus. Foi uma semana de mudança da mente, aprender a conviver com as diferenças sem se preocupar em fazê-las desaparecer, ter um outro olhar sobre velhos versículos.
Foi, realmente, muito forte administrar todas essas transformações em nós e ao mesmo tempo sentir a saudade apertar. Foi como caminhar de olhos fechados, mas de mãos dadas com pessoas de mesmo objetivo.
0 Amor de Deus nos torna mais humanos, no verdadeiro e lindo sentido da palavra.
Ótimo post. abraço

Alana Homrich disse...

Eu confesso que não sou muito religiosa, mas achei tuas palavras muito bonitas. Parabéns.
http://alanahomrich.blogspot.com.br

Kezia Martins disse...

Nossa, adorei seu texto.
"Fé que pensa, razão que crê." Acho que nem precisa dizer mais nada.
Parabéns pelo blog
beijinhos,

fulanaleitora.blogspot.com.br

Poltrona de Leitura disse...

Gostei muito do texto. As palavras pareciam poemas. Muito bom mesmo!