"Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos." (Salmo 119:10)

domingo, 8 de novembro de 2009

Vivo!


Venho escrevendo muito sobre o amor, sobre os sentimentos, sobre o que venho sentindo, tentando explicar e demosntrar da melhor maneira o que se passa no meu coração e na minha mente. Tanto que isso já está ficando meio clichê e deveras depressivo.

Por isso, hoje, tanto por falta de inspiração quanto por vontade de mudar (não vai ser uma mudança radical), postarei aqui um
trecho, mais propriamente dito o Art.1 da Convenção dos Feridos por Amor de um livro de Paulo Coelho, "O Livro dos Manuais".
Ainda não terminei de lê-lo, não porque ele é grosso ou algo assim, por falta de tempo mesmo.
Vamos logo começar com isso:

"Disposições Gerais:

1-Em se considerando que está absolutamente correto o ditado "tudo vale no amor e na guerra";

2-Em se considerando que na guerra temos a Convenção de Genebra, adotada em 22 de agosto de 1864, determinando como feridos em campo de batalha devem ser tratados, ao passo que nenhuma convenção foi promulgada até hoje com relação aos feridos de amor, que são em muito maior número;

fica decretado que:

Art.1- Todos os amantes, de qualquer sexo, ficam alertados que o amor, além de ser uma bênção, é algo também extremamente perigoso, imprevisível, capaz de acarretar danos sérios. Conseqüentemente, quem se propõe a amar deve saber que está expondo seu corpo e sua alma a vários tipos de ferimentos, e não poderá culpar seu parceiro em nenhum momento, já que o risco é o mesmo para ambos. (..) "

Eu não estou sofrendo por amor, muito pelo contrário, estou vivendo-o intensamente, todos os dias, de várias formas.
E vivendo-o tenho percebido que estou adquirindo sapiência, sabedoria, amadurecimento.
Sinto verdadeiramente muita pena de quem ainda não teve a oportunidade de

viver o mesmo sentimento que vivo hoje, e mais pena ainda de quem não se permite.

Finalizando, a Determinação Final da Convenção dos Feridos por Amor:

"Determinação Final: os feridos por amor, ao contrários do feridos em conflitos armados, não são vítimas nem algozes. Escolheram algo que faz parte da vida, e assim, devem encarar a agonia e o êxtase de sua escolha.
E os que jamais foram feridos por amor, não poderão nunca dizer: "Vivi". Porque não viveram."

- Paulo Coelho é muito sensível : fato.
- Steffi de Castro é extremamente romântica: MAIS fato ainda!
__________________________________________________________

9 comentários:

Débora Francis disse...

Perfeito!
Paulo Coelho é muito bom, tenho vários de seus livros.
Em relação ao amor, infelizmente só quem o vivei plenamente sabe o que causa... Muitas vezes uma felicidade sem fim, outras, a desilusão.
O que não podemos é nos fechar para este nobre sentimento.
Sofre uma, duas, três vezes... Mas, acima de tudo... Só quem passa por isso, sabe o que é amar.

Belíssimo post querida.
Beijo

kalanguinho disse...

Steffi, minha cara, eu tenho q dizer q vc é realmente muito romântica...E discordo q é uma pena quem nunca viveu isso. Axo o amor uma coisa realmente inesquecivel, mas que Nuca dura pra sempre(geralmente se torna amizade), acarretando sofrimento para ambos os lados qndo termina.
Só o amar, por amar, ñ traz a felicidade, apenas te corrói...
no meu caso \o/ ^^
BOA SORTE NO SEU CASO!!!! \o/
e q ñ se transforme em pura amizade tão rapido.

Marcelo Leite disse...

Bela dica.
Sucesso com o blog viu?!
aBRAÇOS

L ! disse...

' Abençoados sejam os que um dia amaram...
...se eles foram correspondidos, ou ñ?
POUCO IMPORTA!
Eis que estes, tem uma história pra contar! '

[ Lorena Pereira ]
^.^'

http://adytaness.blogspot.com/

[ Visite-o ]

AtReViDo disse...

Adorei seu blog e também a postagem. parabéns. Querida volto aqui depois. Me interessei pelo o seu blog.

Daya ʚïɞ disse...

Nooossa pequena ameeei!!
ai, eu sou super fã de Paulo Coelho, o meu preferido dele é A bruxa de Portobello.
Esse que voce descreveu eu não li ainda, vou procurar ler *-*
mil beijos lindinha !

anjo só disse...

o amor é um assunto que não se esgota e é gostoso de falar, o amor e a guerra realmente são parecidos, na guerra tem ferimentos graves que marcam para a vida inteira, assim tambem é o amor, geralmente é na juventude que acontecem mais esses ferimentos, por que o jovem age muito por impulso,e se ilude com mais facilidade pela falta de experiencia( mais existem jovens que tem mais juizo que certos adultos).

bjs

palavras ao vento disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Wandinha disse...

Oi menina que afirmou ter gostado das minhas doidices ^^

Também gostei do seu blog, você tem umas idéias meio "doidas" na cabeça. Tah faltando gente assim...