"Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos." (Salmo 119:10)

domingo, 23 de dezembro de 2012

É Natal.

Quando chega essa época eu fico muito diferente. Será da lua? Será que foi porque começou um novo calendário maia? O fato é que a cada ano que passa tudo vai perdendo mais ainda a graça pra mim. E isso é bom por um lado e ruim por outro. Bom porque significa que esse comércio todo em cima do Natal não me surpreende mais. Não vou ser hipócrita de dizer que não participo das confraternizaçõezinhas da época, participo sim, bem, esse ano só participei de uma, dos meus amigos eternos do 3º ano. (sim, já estamos todos velhos e na faculdade, mas ainda nos encontramos sempre que dá e nos amamos, apesar das picuinhas), mas olhem, não fiquei louca comprando presente pra ninguém inclusive nem pra mim. Pois é. Não comprei nada pra mim. Nada mesmo.

O lado ruim é que mesmo com isso tudo o Natal é uma festa! É uma data em que eu deveria estar muito feliz, porque Jesus nasceu! Pode não ter sido em 25 de dezembro, não importa, festejamos (ou deveríamos festejar) o acontecimento e não a data, ou seja, o nascimento do Salvador. O sentido disso tudo é isso TUDO!

E aí que eu caí na real hoje: cara, Jesus é muito importante. A história gira em torno Dele! Até quem não é cristão tá festejando! Pode tá  comemorando tudo errado, mas é influenciado. Bem, esse ano eu quero agradecer pelo nascimento de Jesus. Esse ano eu quero chorar e sorrir por saber que o Homem nasceu, pequenino, num lugar simples e já FORTE E IMENSO.

Como nosso (meu!) querido U2 diz em  If God Will Send His Angels:

Então onde está a esperança e a fé? E o amor...? O que você diz para mim, o amo acende a sua árvore de Natal? (...) Jesus nunca me deixa triste. Sabe, Jesus costumava me mostrar o caminho. Então puseram Jesus no show business Agora está difícil chegar à porta...

Pois é, colocaram "Jesus" no show e ele se tornou Papai Noel, que dá presentes e só isso (até a história do velho Nicolau esqueceram).

E pra terminar essa postagem curtinha, também gostaria de deixar um vídeo bem legal e bem nordestino sobre o Natal. Espero que gostem :)
 

domingo, 9 de dezembro de 2012

Amontoado #1

Pra não deixar o blog parar! Vamos postar coisas alegres, sim?
Venho deixar dicas de três filmes muito interessantes que assisti essa semana e uma banda muito legal que minha amiginha colombiana Edna mandou pra mim pelo facebook :)

O primeiro filme é:

Kit, uma garota especial. (2009)

"Quando os negócios do pai de Kit Kittridge (Abigail Breslin), uma garota de nove anos, não vão bem, ele perde tudo e é obrigado a ir embora em busca de trabalho. Para manter a casa, Kit e sua mãe transformam-na em uma pensão, recebendo hóspedes que devem ter histórias fascinantes. Mas, quando o cofre no qual sua mãe guardava todas as economias é roubado, o novo amigo de Kit, Will, um hobo – trabalhador desempregado – é o primeiro suspeito. No entanto, Kit se recusa a acreditar que Will tenha roubado e seus esforços para desvendar a verdadeira história colocarão, tanto ela quanto seus amigos, em uma grande encrenca. A polícia acredita que o roubo foi cometido por algum conhecido, então, se não foi Will, quem terá sido?" [CinePop]

No CinePop tem como estilo comédia/aventura. A parte da aventura até concordo, as crianças vão atrás do ladrão e etc. e tal, mas o filme tem muito de drama também, e foi justamente esta parte que me chamou atenção. Nesse quesito o filme é muito bonito mesmo. O pai de Kit é um dos muitos que vão embora atrás de emprego, alguns nunca mais retornam. Cada personagem tem uma história diferente, é completamente diferente em muitos aspectos, mas em um todos são iguais: todos são atingidos pela depressão econômica estadunidense da época, todos perdem ou correm o risco de perder seus bens, muitas famílias são destruídas e começam a aparecer nas ruas dezenas e centenas de sem tetos. Vale a pena porque apesar de ser um filmezinho meio infantil, ainda assim é emocionante (ou eu que devo estar muito sensível). As mães precisam segurar as pontas de tudo, as famílias são desmembradas, as crianças sofrem preconceito e chaotas dos amiguinhos em boas condições.


Um Olhar do Paraíso (2010)

"6 de dezembro de 1973. Norristown, Pensilvania, subúrbio da Filadélfia. Susie Salmon (Saoirse Ronan) está voltando para casa quando é abordada por George Harvey (Stanley Tucci), um vizinho que mora sozinho. George a convence a entrar em um retiro, por ele construído. Lá dentro, Susie é assassinada. Os pais de Susie, Jack (Mark Wahlberg) e Abigail (Rachel Weisz), inicialmente se recusam a acreditar na morte da filha, mas precisam aceitar a situação quando seu gorro é encontrado em meio a um milharal, junto a destroços do retiro que estão repletos de sangue. Em meio às investigações, a polícia conversa com George mas não o coloca entre os suspeitos. Com o tempo Jack e Lindsey (Rose McIver), a irmã de Susie, passam a desconfiar de George. Toda esta situação é observada por Susie, que agora está em um local entre o paraíso e o inferno. Lá ela precisa lidar com o sentimento de vingança que nutre em relação a George e a vontade de ajudar sua família a superar o trauma de sua morte." [AdoroCinema]

Eu já assisti esse filme umas três vezes. Ele não é um filme tocante como sei lá... O Último Samurai, por exemplo, é um filme sim muito interessante, a trama bem feita, mas o que mais me impressiona nele são os efeitos. Os efeitos são simplesmente perfeitos e lindíssimos. Ele me parece ter algo meio relacionado ao espiritismo, não toca no assunto reencarnação, nada assim, mas nessa questão da tormenta, do espírito que não consegue se desligar por algum motivo. E o quanto isso mexe com as pessoas. Realmente mexe. Esse filme dá pano pra manga pra discussões, mas os efeitos, a trilha sonora, são muitos bonitos mesmo! Se você gosta desses detalhes então vai gostar do filme, a história não é chata, às vezes é até meio sombrio, dá um medinho até, mas é muito interessante.


Toy Story 3

"Andy (John Morris) tem 17 anos e está prestes a ir para a faculdade. Desta forma, precisa arrumar o quarto e definir o que irá para o lixo e o que será guardado no sótão. Seus antigos brinquedos, entre eles Buzz Lightyear (Tim Allen), Jessie (Joan Cusack) e o Sr. Cabeça de Batata (Don Rickles), são separados para serem guardados no sótão. Entretanto, uma confusão faz com que a mãe de Andy os coloque no lixo. Woody (Tom Hanks), que será levado por Andy para a faculdade, decide salvá-los. O grupo escapa, mas acaba no carro da mãe de Andy. Ela leva a uma creche diversos brinquedos, entre eles Barbie (Jodi Benson). Ao chegarem, os amigos encontram um universo até então inimaginável, onde os brinquedos sempre têm crianças para brincarem com eles." [AdoroCinema]

Sou apaixonada por animação, muitos já sabem, mas, confesso, nunca tinha assistido Toy Story pra valer. Na verdade nunca me chamou a atenção. Por um acaso hoje assisti com dois priminhos. O Toy Story 3 é tão lindo e bem feito e tudo mais que até meu primo de 8 anos chorou no final! Todos choramos na sala! Terminou a trilogia com chave de ouro. Não é um filme que precisa ter piadas que as crianças não entendem para adultos gostarem, como A Era do Gelo por exemplo, no início, o 1 e o 2. Todo mundo se apega ao desenho. Um trabalho perfeito. Todo mundo relembra a sua infância assistindo Toy Story 3!

:')

Música:

Eu havia dito que uma amiga minha tinha me apresentado uma banda e a banda é La Derecha. Os caras são muito bons! Eu conheci através daquele cara... o cara do "Esse cara sou eu". Isso aí, Roberto Carlos. Acontece que fui ouvir sem nenhuma expectativa e o que ouvi foi uma versão mil vezes melhor (na minha opinião) de Emoções de Roberto Carlos. Aquela música clichê "quando eu estou aqui eu vivo esse momento lindo...". Só que em espanhol (amo!).


O clipe ficou muito bem feito, vale a pena:

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Venenosa

Quando eu falo que não presto não falo da boca pra fora. Falo porque é a verdade. Por que é assim que eu me sinto. Quando eu falo que não presto não é pra fazer alguém sentir pena de mim, não é pra fazer alguém se sentir culpado, é porque é assim mesmo que eu me sinto. É assim mesmo que eu sou.

Quando eu enumero meus defeitos não me importa a vida boa que aparentemente eu levo, perde a importância tudo aquilo que graças a Deus eu tenho. Perde não porque eu sou ingrata, mas porque com a quantidade e a magnitude de mal que eu causo a mim mesma e aos outros todas as outras coisas perdem o sentido e o brilho que tem.

Quando eu me sinto veneno, quando eu quero tomar o veneno, não é porque é assim que eu quero me sentir, é porque é assim que eu me sinto. Nenhum sentimento em mim é invenção, nenhum sentimento em mim é imaginário, é de brincadeira. É de verdade. Sou eu mesma.

Essa raiva inexplicável, essa incapacidade de perdoar, essa minha incapacidade de me calar, de me conter, de não me envolver. Essa minha incapacidade de perceber os problemas além de mim. Esses meus olhos fechados para pessoas e situações que são tão claras como a água. Eu sou incapaz de resolver um problema. Eu sou incapaz de tomar uma decisão coerente. Eu sou incapaz de só fazer bem a alguém. Eu sou incapaz de me reconciliar. Eu sou incapaz de não me sentir assim. Veneno.

Quando eu digo que não presto não é um simples complexo meu, é porque eu realmente só consigo enxergar minhas falhas. Eu não consigo me comportar da maneira que eu quero. Eu não consigo avaliar a situação e tomar atitudes independente do que podem pensar a meu respeito. Eu não consigo.

É a última pessoa a quem eu faria qualquer mal. Dou tanto valor às suas palavras, que qualquer uma delas que me contrarie, que seja dura, independente de ser falsa ou não, vai me doer, não porque eu apenas não quero ouvir (assim como ninguém) o que não é agradável ao nosso ego, mas porque dou tanta importância ao que você acha de mim e acredito tanto no que você acha de mim que eu vou levar pro resto da vida tudo isso.

Se as pessoas falam que eu exagerei, eu acredito. Eu acredito mesmo. Se me chamarem de chata, eu acredito mesmo. E se eu chorar na sua frente, não é minha intenção, eu juro, me fazer de vítima. Não é e nunca foi. É porque eu só não aguento não chorar.

Eu oro tanto pra Deus me transformar, e às vezes me pergunto se isso faz sentido, se faz sentido eu pedir por uma coisa assim, se Ele está me ouvindo. Eu sei que Ele me ouve, mas então por que não acontece? Por que eu não mudo? Por que eu não paro de me sentir assim?


terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Retrô!

Postagem básica de todo blog: a retrospectiva do ano que está acabando.

Eu perdi 5 shows de cantores que já tinha prometido a mim mesma que se viessem na minha cidade eu não perderia: Lenine, Detonautas, Santanna,O Cantador, Dread Mar I e Zé Ramalho. Perdi os cinco tudo de uma vez!  Conheci a Aliança Bíblica Universitária. As universidades federais ficaram de greve por quase 6 meses. A minha pra sempre escola do coração sofreu alguns abusos. Revi a Família Browne! Não comprei meu óculos. Fiz minha primeira viagem para fora do estado do Maranhão (sozinha!).  Sou uma das secretárias de literatura da Abu Norte. Ganhei muitos livros e adquiri alguns que não necessariamente estavam na minha lista. Completei 4 anos de namoro ♥. Minha Esterzinha começou a estudar, Julinha está crescendo (muito rápido!). Não consegui guardar dinheiro. Não estou muito feliz, cansei de tentar ser feliz.

Bem, é isso... Não aconteceu nada de extraordinário na minha vida. Não foi mesmo um ano maravilhoso, mas teve seus momentos bons. Agora é só continuar no ritmo e aproveitar esse clima que fim de ano dá de "recomeço" e tentar mudar em algumas coisas. Nada de fazer promessas, porque eu só me decepciono comigo mesma depois.



sábado, 1 de dezembro de 2012

Cala-te boca!

Eu me proponho, me proponho a ficar calada. Jejum de palavras. Vamos começar com 1 dia. Amanhã. Daqui a pouco.

sábado, 17 de novembro de 2012

Uma parte do Todo.

Como vocês sabem, faço parte da Aliança Bíblica Universitária do Brasil, há pouquíssimo tempo por sinal. Conheci a ABU na minha faculdade em abril. E até hoje não esqueço de como conheci o movimento. Eu não fui atrás da ABU, a ABU veio atrás de mim, se podemos assim dizer.

Eu estava no ônibus conversando com uma menina que tinha acabado de entrar no curso e uma moça linda chamada Marcela já ia descendo do mesmo, mas antes virou e falou com aquele sotaque carioca manhoso de ser: 
"Ei, 'cê já ouviu falar da ABU? A Aliança Bíblica Universitária? Acontece dia tal, tal hora, tal lugar aparece lá." 
Foi muito estranho. 

Foi uma abordagem diferente, ela não me deu nenhum panfletinho, não sentou comigo e conversou, ela só disse e se foi... Mas Deus não faz nada por acaso, minha vida não é um joguinho de quebra cabeça pra Ele.

Marcela Rocha, a flor.
Hoje eu sei que Deus usou a Marcela Rocha pra me demonstrar o Amor Dele por mim. E quantas vezes, quando estamos envolvidos com missão, não falamos sobre estratégias e mais estratégias de atingir pessoas e acabamos esquecendo que Deus usa as pessoas da maneira que Ele quer. Nunca me senti perdida nem afastada de Deus, isso eu posso afirmar com toda a certeza. Eu sei que sem Ele minha vida não tem nem teria sentido, porque eu posso ter entendido e vagado durante muito tempo procurando por Ele, mas eu sempre me senti perto Dele, não consigo explicar muito bem, mas é algo assim: sempre me preocupei com o que Ele ia achar do que eu estava fazendo. Um pensamento às vezes ingênuo, porque Deus sabe de tudo mesmo, mas que reflete a importância que Ele sempre teve pra mim.

Às vezes pedimos tanto para que Deus nos dê sinais, para ouvir a voz Dele, pra ver alguma coisa, enfim, muitas e muitas coisas, mas esquecemos das pessoas ao redor. Nossa, quanto tempo demorei pra perceber que a flor da Marcela Rocha foi simplesmente Deus agindo na minha vida!

A Marcela me abordou muito diretamente, sem ladainha nem nada, num momento onde eu estava buscando muito a comunhão e estava meio desorientada, querendo fazer alguma coisa, mas sem saber o quê. Inclusive nessa época que surgiu a ideia do Sementes, que não deu muito certo, mas me rendeu bons frutos (Juliana e Mari ♥). Através da ABU eu conheci pessoas que hoje me dão um suporte muito forte e muito importante, pessoas com quem eu sei que tenho liberdade para desabafar, para pedir orações e o melhor de tudo: que eu sei que não vão ficar me julgando.

O ano de 2012 foi e está sendo um ano muito difícil pra mim, mas um ano que agora, parando pra pensar nisso, Deus me respondeu em tudo (e ainda nem acabou!). Eu conheci o pessoal da ABU simultaneamente com a galera do CPPC - (Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos), que também dão um suporte muito importante na minha vida como estudante de psicologia e futura profissional cristã,daí surgiu uma ponte para eu ter conhecido a galera da Igreja Congregacional, uma congregação que sempre me recebe muito bem e me faz sentir bem. Foi um tempo que eu sei que meu relacionamento com Deus, que sempre existiu, se fortaleceu, e que o lance de comunhão ficou muito mais claro pra mim.

A ABU me ensinou coisas que eu sozinha não conseguiria aprender, porque envolvem prática, comunhão, conversa... Essa é bem a verdade também. Muitos paradigmas meus foram quebrados convivendo com os abeuenses, coisas que me prendiam demais, assim como muito do que eu achava que era coisa só da minha cabeça afinal não é coisa só da minha cabeça, se eu sou louca então na ABU tem muitos loucos, porque conheci pessoas que pensam bem como eu.

É um estágio também na minha vida que eu sei que vou ser grata pra sempre, pois nos instiga a ter responsabilidade, tomar atitudes, ter autonomia e tudo mais. E isso está me fazendo muito bem. Eu me sinto extremamente útil e realmente PARTE de um TODO. Quando eu digo que queria que tantas, tantas, tantas pessoas amadas e conhecidas estivessem na ABU comigo é porque eu queria que eles sentissem a mesma coisa que eu sinto. Eu sei que não vai ser assim sempre, eu sei que podem existir alguns que amem assim como eu e outros que não se identifiquem, claro, mas como eu queria, como eu quero!

Deus tem me tocado cada vez mais e curado algumas mágoas, feridas, decepções, bem aos pouquinhos mesmo. Como alguns devem saber, eu sou uma dessas raras pessoas engajadas, mas "desigrejada", e isso é uma coisa com a qual eu tento lidar com a maior cautela possível por n motivos, mas que confesso, é uma situação que não acho ruim na maioria das vezes (e isso pode mudar) e que pra mim tem funcionado bastante [não estou incentivando ninguém a viver assim, porque não é fácil nem legal ficar explicando ou ter que se esquivar daquela pergunta básica: "Qual a tua igreja?" até porque eu não comecei minha trajetória dessa maneira]. 

A ABU é meu suporte nesse sentido, não é a minha igreja, que fique claro, ela não tem pretensão de ser uma igreja no sentido de "instituição", mas ela é a Igreja na minha vida. Quando o Corpo, a Igreja se encontrar com seu Noivo, eu tenho certeza de pelo menos de uma coisa, que vai ser bem assim mesmo: não existirão denominações. Seremos todos UM de verdade. Só que eu posso dizer que eu vivo um pouco disso aqui, eu vivo um pouco disso na ABU, aliás, um pouco não, um MUITO, porque há pouco tempo isso era inexistente pra mim!

Família Browne: orem por eles :)
Tenho aprendido o quanto tudo isso é movido pelo Amor, que é sustentado unicamente por Ele mesmo e sua graça e misericórdia, e que esse Amor focado na missão, no Ide, une, apaixona, te ensina a ofertar e se dedicar com a certeza de que você pode não ser atingido diretamente, mas você está envolvido, e que a oração é muito, muito, muito importante e que, acima de tudo, o lance é entregar nas mãos de Deus, mas fazer tudo o que for possível. Eu me sinto parte da Missão porque ajudo, porque oro, e falo da Missão como um todo, falo da ABU, lembro da minha Família Browne lutando e vivendo pela Missão também, falo da Missão Guajajaras, falo da Zadok, falo de tudo isso que me apaixona demais. Amo muito todos, preciso viver a prática e o processo do Perdão também e sei que Deus sabe disso =)

Mas em síntese: tudo isso está me modificando e eu espero que quem esteja ao meu redor sinta essas mudanças. Estou aprendendo muito e eu espero que eu posso colocar isso em prática.



Meu coração não é digno de Ti, mas aqui vistes morar... ♪ (Eduardo Mano)

"[...]onde não há grego nem judeu, nem circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é TUDO em TODOS." (Colossenses 3: 11)

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Outros pontos de vista

Tenho passado por um momento de descoberta e mudança de atitude. Estou aprendendo a ouvir mais (uma coisa que tenho muita dificuldade e que certamente é um problema muito sério em todos os aspectos), a não julgar tanto e melhor: a começar a lembrar que existem vários pontos de vista.

Várias vezes já ouvi as pessoas falarem que eu era muito intolerante, intransigente e etc... Porque "ah, tu quer as coisas só se for do teu jeito". É verdade, mas ninguém quer ouvir isso na lata, não é mesmo? Eu já ouvi. Inúmeras vezes, em momentos de raiva, em momentos de conversas... Já ouvi isso saindo de uma maneira agressiva assim como já ouvi saindo de uma maneira bem sutil. O fato é que isso me machuca muito.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Tudo de uma vez.

Quero desabafar tudo de uma vez aqui. Minha vida está uma loucura. Talvez você não se importe muito com a minha vida, mas quem sabe a situação que eu estou vivendo não é bem parecida com a sua, hein? Minha universidade é federal, então passei quase 6 meses sem aula, e quando as mesmas recomeçaram recomeçou o desespero. Está tudo atolado, apesar de quase tudo já ter acabado... Mas então vem as responsabilidades que assumi e que (não estou reclamando disso, porque eu quero realmente fazer parte do movimento) estão me preocupando muito. Eu estava rodeada de pessoas unidas por uma mesma causa e de repente me vi me sentindo sozinha praticamente implorando pela presença, pelos comentários, pelas respostas, por qualquer coisa que me respondesse! Eu seria menos insistente se não fosse necessário. Reconheço também meus problemas emocionais, eu me encho de coisas pra fazer e acredito que seja pra que em nenhum momento eu tenha que parar e pensar sobre mim mesma, porque se eu fico ociosa, vem aquela depressão, meus pensamentos de morte, aquela solidão aterrorizante, o medo de ficar só, o medo de estar sendo inútil. Vem tudo junto. Então, de certa forma o fato é que eu acabo assumindo tantos compromissos, nem tantos assim, mas importantes demais, que não tenho tempo de sofrer nem de pensar em minha decadência. E chega a um ponto que eu fico tão simples, é complicado de entender, eu sei... Mas eu fico tão sob aquela famosa atitude natural, que eu rio por qualquer coisa, e eu gosto disso, porque é isso mesmo, eu começo a rir das coisas, mesmo me preocupando com um milhão de outras. Não sou o tipo de pessoa que gosta de ser dominada, de ser enganada, mas confesso que tenho uma tendência a procurar pelas coisas que me deixem ocupadas o suficiente para não sofrer. Tenho tanto medo de assim ir vivendo uma vida vazia... Fez algum sentido o que eu quis dizer? Tem esse outro problema também, como todo ser humano, também me sinto a mais incompreendida das criaturas terrestres... Tenho medo de criar situações inexistentes, de me fazer de vítima sem perceber e de cometer outros erros para os quais eu sei que tenho o dom. Não sei mais o que dizer, só que queria jogar assim com tudo de uma vez.

sábado, 27 de outubro de 2012

Intocáveis

Faz tempo que eu não assistia um filme e ria tanto, aquela risada sincera, aquela risada completamente inesperada. E a culpa é do filme Intocáveis.


Fazia muito tempo que eu não ia ao Cine Praia Grande, um cinema cult daqui de São Luís, o único. Mas eu não ia porque não queria, nunca dava certo. Mas dessa vez deu e eu não me arrependi. O Cine Praia Grande está praticamente esquecido pela população ludovicense, tivemos festivais ótimos este ano e não prestigiamos o sucesso, mas Intocáveis mudou o rumo dessa história, pelo menos por esses dias.

O filme foi lançado em agosto desse ano e está fazendo muito sucesso. É uma produção francesa muito bonita e baseada em fatos reais.
"Philippe (François Cluzet) é um aristocrata rico que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando de um assistente, ele decide contratar Driss (Omar Sy), um jovem problemático que não tem a menor experiência em cuidar de pessoas no seu estado. Aos poucos ele aprende a função, apesar das diversas gafes que comete. Philippe, por sua vez, se afeiçoa cada vez mais a Driss por ele não tratá-lo como um pobre coitado. Aos poucos a amizade entre eles se estabele, com cada um conhecendo melhor o mundo do outro." [Adoro Cinema]
O que eu tenho a dizer sobre o filme é bem simples. É piegas. Você começa assistindo o filme e na metade dele você já saca o final e a história inteira e que tipos de sentimentos estão ali envolvidos, mas isso não significa que ele se torna desinteressante ou chato. Muito pelo contrário! São sentimentos que a gente nunca acha chato, a história é muito bonita. O personagem Driss é com certeza a chave do sucesso, nem parece que ali há um ator, porque é perfeito. Você se apega a história e a todos da trama. A questão de não tratar alguém com compaixão é muito interessante. Nem sei se compaixão é o termo certo, mas acho que o sentimento mesmo é de pena.  Quantas vezes não sentimos pena de alguém? A obra me lembrou muito de outro filme que até já comentei por aqui, "Antes de Partir".


Recomendo a todos que assistam "Intocáveis" é um drama-comédia muito bonito, envolvente e emocionantes. Piegas, mas perfeito. A única coisa de que não gostei foi descobri que Driss não é negro na realidade, não sei explicar, mas perdeu a graça. Parece que forjaram uma "diferença" entre Driss e o Phillipe.



domingo, 21 de outubro de 2012

Amigos

"Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos. Vocês serão meus amigos, se fizerem o que eu lhes ordeno. Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor faz. Em vez disso, eu os tenho chamado amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu lhes tornei conhecido." Jo15,:13-15

Jesus é nosso amigo de verdade, ele nunca nos deixa na mão, sempre ouve nossas preces, nossas reclamações, nossos pedidos e nossos agradecimentos. Ele sempre nos surpreende, seja com mudanças, seja com palavras, seja com uma nova direção em nosso caminho!

ELE É DEMAIS!
NOSSO PRA SEMPRE ÚNICO MELHOR DOS MELHORES AMIGOS, O AMIGO PERFEITO! ♥


segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Vale a pena

Nenhum movimento vai ser sempre perfeito, porque sempre vai ter os que não ajudam muito.  Nenhuma igreja vai ser perfeita, porque é feita de ser humano. Nenhum partido é completamente honesto, porque também é feito de gente e algumas se vendem facilmente (aí elas saem do partido, geralmente rs).

Sabe por que na maioria das vezes quando você participa de alguma coisa tem que relevar as atitudes dos seus companheiros? Porque são pessoas. Imperfeitas.

Na hora da decepção corremos o risco de descarregar tudo em cima daquilo em que acreditamos, quando, na verdade, o problema não está no grupo em si, está em apenas poucas pessoas. Aí acabamos nos afastando por besteiras.

Então, se você acredita mesmo em algo, aguente firme, não desista, mesmo que um ou dois te façam sentir um pouquinho de raiva e preocupação às vezes. Suporte e tente resolver. Conviver é uma coisa muito complicada, mas extremamente necessária e em prol de um ideal ou objetivo é não só necessária como essencial. Então mesmo que você tenha vontade de explodir ou desistir às vezes: aguente firme. Aguente firme porque é muito bom você olhar pra trás e dizer: eu vivi isso!

Eu estava nessa época quando as coisas estavam muito difíceis!
Eu convivi com esse cara, que me humilhou pra caramba, mas hoje é meu igual.
Eu passei por essa fase e foi muito bom!
Fulano de tal foi embora, mas beltrano e ciclano chegaram!
Estou aqui durante todos esses anos e sei de todas as histórias mais engraçadas!

Eu passei por tudo isso, conquistamos algumas coisas, perdemos outras, passamos por momentos difíceis, momentos alegres, mas eu ainda estou aqui e ainda vale a pena. Vale a pena enquanto for racional.

Continue. Ainda vale a pena

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Nada.


"O que você acha que tem depois da vida?"
"Nada".

"Nada" foi o que Eric Kandel, ganhador do Prêmio Nobel de Medicina disse. Nada após a morte. Simplesmente nada. Essa resposta me assustou muito, principalmente depois de ter visto o mesmo homem sorrindo, brincando, ajudando outras pessoas, fazendo amizades e chorando pela vida perdida de parentes e amigos. Então depois da morte é nada? Então eu só devo me preocupar em fazer alguma coisa por este mundo e esperar que na memória alheia fiquem meus traços e meus feitos?

Algumas pessoas conseguem viver assim, mas eu não. Uma das respostas para eu ser cristã é justamente isso: Jesus me dá esperança. Você consegue viver mais um dia aqui esperando nada? Esperando por coisa alguma? Aliás, esperar não é o termo certo nesse caso, porque simplesmente não se espera. Se vive e acaba. Esperar o quê?, se amanhã posso morrer e então virá o nada? Que nada é! O nada é tão infinito quanto a vida eterna, é tão assustador e difícil de se entender que livros inteiros foram escritos sobre ele e ainda assim restam dúvidas, é tão complicado que sua infinitude não cabe em nossa mente limitada, porque o nada é nada. Ele não existe. Existe quando eu falo dele, mas ele por si só... é nada.

Não consigo viver assim, viver sem ter um porquê. E para que ter porquês se de alguma forma irei ao nada mesmo...?

Foi a resposta mais triste que eu já ouvi. É a coisa mais aterrorizante em que posso pensar.
Já disse que tenho medo da morte? Penso nela constantemente. E vocês podem falar: "mas é cedo!". Quem me garante? Penso na morte e morro de medo dela. E sou cristã, sei que vencemos a morte. Vencemos por que há a esperança da ressurreição, mas pra ressuscitar é preciso morrer. E tenho medo de morrer. Tenho medo de envelhecer. Tenho medo de adoecer. Tenho medo de perder as pessoas que amo. Tudo o que lembra e se aproxima da morte me dá medo. E por isso minha limitada existência não me deixa pensar no nada. Preciso crer em algo a mais, em algo ALÉM!

Não acredito em reencarnação, não acredito em várias vidas. Acredito nessa vida e acredito na vida em outro tempo. É complicado? Eu acredito que algum dia essa minha mesma carne irá novamente se movimentar. Não em outro corpo, não em outro plano. Enfim, não sei como será, mas acredito nela: a Ressurreição.

A morte de Jesus é o que nos deu vida, mas o que nos deixa de pé, o que nos mostra que as coisas não irão pro nada, a prova, é que Ele ressuscitou! Estou pregando? Estou parecendo uma daquelas evangélicas alienadas? Me desculpe, mas acreditar no nada após a morte, simplesmente não acreditar no após, é tudo o que NÃO SOU. Eu não acredito nisso. Eu PRECISO acreditar em algo além, assim como os hebreus castigados pela escravidão clamavam pela liberdade eu clamo pelo depois, assim como se espera pela cura do câncer e da aids eu espero pelo depois! Assim como o povo ansiava pelo Salvador, eu anseio pela minha vida e no final a vida e Ele são as mesmas coisas. Se eu não consigo viver bem convivendo com esse medo de morrer, com esse medo de não ter algo a mais, então não vivo. Sobrevivo. Vivo mal. Não sou feliz. Mas Ele me dá outra alternativa, Ele me dá a verdade, Ele me diz: "Eu sou a esperança, Steffi! Não acaba aqui! Fique calma, por enquanto viva!" Ele é quem me diz isso, é Ele quem me dá vida! Porque eu não vivo bem se eu não crer nisso, porque se eu não crer nisso eu não creio mais em nada. E do Nada eu tenho medo.

Foi a resposta mais triste que eu já ouvi porque não concebo que um homem tão bom aparentemente, com uma história tão bonita tenha simplesmente se rendido ao nada. Não entendo como é suportar isso, como é aceitar isso. Eu queria ter eficiência pra poder demonstrar tudo o que eu sinto por Jesus, mas eu admito: não sou um bom exemplo, não sou a filha perfeita nem dos meus pais nem Dele, mas o amor que eu tenho é tão forte, a vontade que eu tenho é tão grande e tudo o que eu sou e o que faço está tão intimamente e às vezes estranhamente ligado a Ele que eu simplesmente choro somente em lembrar. Choro enquanto escrevo esse post, choro quando lembro do que Ele fez por mim, choro porque a morte dele parece que se tornou uma coisa tão corriqueira pra algumas pessoas que esquecem que doeu nele. Que doeu ser pregado, que doeu ficar com sede, que doeu ser chicoteado, que doeu aguentar ver as pessoas que tanto amava simplesmente irem em direção ao nada.

E é assim que eu me sinto quando vejo alguém profundamente desacreditado. É assim que eu me sinto quando eu vejo alguém perdido. Quando vejo alguém feliz, mas por uma coisa tão efêmera.. Quem dera eu pudesse transmitir bem tudo o que eu sinto. Quem dera eu pudesse escrever da melhor maneira possível tudo o que passa pela minha cabeça quando estou no meio de pessoas que eu sei que não acreditam, mas que eu amo e fico pensando: "Meu Deus, elas não podem morrer sem crer!" Minha dor não é tão forte quanto a que ele sentiu por nós, mas me dói, me enche de medo.

Eu sei que é meio complicado entender isso tudo, eu mesma não entendo uma boa parte às vezes. Mas por favor, deem uma chance a Jesus. Não é Jesus que precisa dar uma chance e digo isso não porque ele é soberano (mas ele é soberano) e sim porque ele não precisar dar essa chance, essa chance já foi dada, está dada! É nossa vez. Deem uma chance a Jesus. Assim como procuram incessantemente por informações a respeito da sua banda ou cantor favorito, assim como buscam curiosidades sobre o filme, sobre o livro, sobre a novela, busquem. Busquem sobre a pessoa que Jesus é! Não se atenham a debates teológicos, não queiram viver coisas sobrenaturais, não procurem Jesus procurando a casa ou o carro, simplesmente aceitem conhecê-Lo. Ouça sua conversa, descubra quem ele é.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Selos e Memes (em atraso desde o século passado)

Venho escrevendo bem pouco aqui no blog. Minha vida não está uma loucura, mas tenho uns corres importantes e a vida real ainda é bem mais importante e interessante do que a blogosfera. Meu blog é meu xodózinho, minha terapia, mas não é minha prioridade, no entanto, isso não quer dizer que ele não tem atenção, que eu não sinto saudades de escrever e que não ligo nem um pouco para o meu lar! Portanto, mesmo com um certo atraso, venho postar aqui os últimos selos e memes que ganhei :)

# Selo Versatile

Ganhei este selo da Luene, do blog Instituição para Jovens Prodígios. O nome do blog é na verdade o nome da saga que ela está escrevendo. Eu e a Luene não somos "melhores amigas de blogosfera", mas venho acompanhando seu crescimento acho que desde o comecinho... E ela tem se saído muitíssimo bem, por sinal, percebeu as sacadas deste mundo primeiro que eu :)


O selinho é muito fofo, verdinho e cool. Gostei demais. Luene, muito obrigada e sucesso com os livros! E, claro, vamos às regras:


Essas são as regras:
1 - Postar o selinho e colocar quem me enviou na mesma postagem.
2 - Colocar 7 coisas Sobre mim.
3 - Escolher quantos blogs quiser para presentear com o selinho.

Pra quem não me conhece de jeito nenhum vão lá 7 coisas sobre mim muito importantes:

  1. Namoro há 4 anos e 6 meses, meu namorado faz parte de um moto clube chamado Abutres. Como eu pareço meiguinha e fofinha e meu namorado e seu clube de meigos e fofos não tem nada disso(ainda bem), essa união às vezes assusta as pessoas rs
  2. Sou cristã evangélica. Digo evangélica porque não sou católica nem outra coisa... Visito as igrejas evangélicas. Pois é, visito. Não sou membro de nenhuma igreja. Nem sei se quero.
  3. Faço parte de um movimento chamado ABU: Aliança Bíblica Universitária. É minha mais nova paixão .
  4. Sou apaixonada por crianças! Tipo: MUITO.
  5. Minha banda favorita é U2. Deu pra perceber?
  6. Sou impulsiva. Eu tenho esse problema. Eu brigo muito e isso é sério, atrapalha no testemunho, tira minha paz, me incomoda. Eu quebro as coisas em casa, mas não sei brigar na rua rsrsrs
  7. Atualmente tenho demorado muuuito pra terminar um livro. Simplesmente porque perdir as contas de quantos estou lendo ao mesmo tempo. Vou parar com isso. Não está mais dando certo.
# Meme 11 perguntas

A Marie, do Isso poderia ser o paraíso me mandou esse meme :)


1.Qual livro que você leu e te deixou triste?
Um dos meus preferidos tem um fim meio triste: Terra Vermelha, Domingos Pelegrinni.
2.Qual te deixou feliz?
Ah... Um com final feliz: Eu sou o Mensageiro, Suzak.
3.Você consegue escolher um livro favorito? Qual ou Quais?
4.O que você mais gosta de postar no seu blog? (resenhas, memes, caixinha de correio, etc.)
Meu blog não é especificamente literário, então gosto muito de falar sobre músicas, algumas vezes sobre livros, sobre filmes... é bem diversificado mesmo.
5.Porque você escolheu criar um blog literário?
Não escolhi rsrs
6.Qual blog você visita constantemente?
Ultimamente constantemente nenhum, mas os que eu sempre procuro visitar: Pitada de Cinema Cult, U2: Sombras e Árvores Altas. 
7.O que você acha de eventos literários?
Gosto muito!
8. Antes de ler um livro o que você leva em consideração?
Sinopse. Nota no skoob e opiniões.
9. Compra livros pela internet? Porque?
Sim. Principalmente no Estante Virtual. Preço e existência rsrs
10.Qual livro você gostaria que virasse filme?
Terra Vermelha. Mas nunca ficaria como o livro. Na verdade seria mais uma novela.
11.Diga uma música que combine perfeitamente com um livro.
The Storie For Boys, do U2, para o livro, U2 by U2. rsrsrs

Regras:
• Criar um post e responder às perguntas de quem te passou a tag;
• Criar onze perguntas diferentes e repassar;
• Escolher onze blogs e colocar o link no post;
• Avisar os blogs selecionados

Post criado. Usem as mesmas perguntas. Não vou repassar pra onze blogs, tô com preguiça.


Repassando o selo e o meme para os blogs:
Ler, comer e dormir da Martha.
Livro com Dieta da Telma.
Galeria das Ideias da Mariana.
Fez-se flor da Juli.
Sossego do Mundo da Marizita.
Quadro Inacabado do Luís

domingo, 30 de setembro de 2012

o seu aniversário

Parabéns, meu amor. Parabéns por todos esses anos de vida. Devo lhe dizer que também me sinto altamente privilegiada por ter estado com você em uma boa parte desse tempo. Eu nem sei como te parabenizar direito, sabe? Eu também não gosto do meu aniversário, assim como você não gosta do seu. Mas é o SEU aniversário, não pode passar em branco, não pode passar sem nenhuma frescurinha de namorada apaixonada, você é muito importante pra mim. Seu aniversário é mais importante pra mim do que o meu. Eu queria te dar tudo o que você quisesse nesta data, eu queria poder te dar o mundo, eu queria poder fazer você viver todas as melhores emoções da face da terra, eu queria poder estar em todas as concretizações dos seus sonhos, mas eu sou só uma moça apaixonada, uma namorada dura, lisa. Só sou isso. Só posso te ofertar meu amor e minha atenção nesta data. Nada mais. Posso te dizer também que hoje não tenho um presente pra você, mas eu oro todos os dias e você sempre está nas minhas orações. Eu acordo pensando em você. Eu durmo preocupada com você. Eu me importo com seus interesses, eu quero saber seus gostos e... eu estou parecendo grudenta demais? Eu sei que estou e sei que você não gosta disso. Sei inclusive que eu também não gosto disso. Mas venhamos e convenhamos: eu sou uma namorada muito legal, não sou? Eu sou meio desligada, eu não sou muito atenciosa às vezes, mas eu te dou total liberdade, você pode conversar comigo sobre qualquer coisa e eu sempre quero te agradar em seus aniversários. Eu sempre quero te agradar porque você é tão bom. Você se preocupa comigo, você me ama, você cuida de mim, você briga comigo também, mas porque eu saio tarde sozinha dos lugares, porque eu esqueço as coisas e porque eu me meto em muita coisa pra fazer, no fim tudo é preocupação. Eu quero te agradar porque você merece ser mimado. Você merece atenção. Você merece toda a minha atenção e toda a atenção que não te deram, meu amor. E eu sei que você está machucado, está triste, está preocupado. Mas estamos felizes mesmo assim, não é? Estamos juntos, não estamos sozinhos. Deus sempre coloca as pessoas certas nas horas certas pra ajudar nas coisas certas. Eu te amo muito e você merece tudo nessa data e nas outras todas porque você é leal ao seus ideias, ao seu clube, porque você é fiel, porque você é responsável e preocupado com as coisas que realmente importam. Nada que digam ou pensam a seu respeito importam, porque eu te conheço. E podemos visualmente não ser o casal perfeito: você todo underground e eu toda moçoila com carinha de criança, mas só a gente sabe o que já passamos nesses aniversários. Parabéns, meu amor. Parabéns pela garra, parabéns por estar suportando tudo isso. Parabéns por mais um ano de vida. Eu te amo muito. ♥

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

A cidade cinza

Eu saí de São Luís! Enfim! Não pra sempre, mas saí por alguns poucos dias. Finalmente fui dar uma volta, respirar outros ares, vê como é a vida fora da ilha, literalmente. Estive em São Paulo, a cidade cinza. Dizem que São Paulo não é cinza, mas é cinza sim. A noite pode até ficar bem colorida, mas é durante todo o dia cinza. São Paulo é muito bonita, cheia de coisas pra se ver, pra comer, pra sentir... Mas me deu uma angústia. Em São Paulo eu me senti menor do que já me sinto. Lá eu percebi que se eu me perdesse ia ser muito difícil me encontrarem, muito mesmo. Porque é uma cidade enorme, muita gente, muito movimento. Eu não fui só pra passear como alguns de vocês podem estar pensando. Eu fui assistir uma Mostra. A 2ª Mostra Nacional de Práticas em Psicologia. Amei o evento, amei mesmo. Queria ter aproveitado mais. Mas nem que eu passasse o dia inteiro só na mostra eu conseguiria. Tinha muita coisa e tudo ao mesmo tempo. Passar alguns dias longe de casa me fez perceber o quanto eu amo as pessoas que estão sempre perto e o quanto é dolorido se afastar. A saudade estava demais! E não foi nem uma semana! Me fez perceber também o quanto apesar de todos os problemas que a minha cidade tem ela é ainda muito amada. Amo São Luís. E quero ajudá-la a crescer.

Algumas fotografias que meus olhos amadores captaram.

Av. Paulista 
Av. Paulista

Vista do Bela Vista

Tambores

ilhota

Primeiro dia


Estátua Viva

Cores no Mercadão

Banquinha do Mercadão 
Pomba

Noivo

Depp

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Onde as ruas não tem nome.



Onde as ruas não tem nome, where the streets have no name. U2.
Gosto muito desta música, gosto muito do U2, quem sempre está por aqui, quem me conhece e quem pelo menos prestou atenção no banner do blog deve ter percebido isso. Mas por que gosto desta música em especial (gosto de milhões em especial rs)? Where the streets have no name tem uma coisa incrível, tem algo que te faz querer dançar, se mexer, gritar, correr!!!

Por favor, peço, suplico, imploro que assistem esse clipe, sério mesmo. Vocês vão entender exatamente o que eu quero dizer e também não vão entender nada, porque WTSHNN é uma música que nem sempre é compreensível. Pra cada dia da sua vida ela pode significar alguma coisa. Mas o que importa é que eles conseguiram passar exatamente o que queriam:  uma espécie de fuga, ou uma corrida ao encontro de algo muito desejado. Neste clipe eles estão em cima de um telhado num dia "comum". As pessoas estavam indo trabalhar, outras moram ali perto... Repare no estilo do U2 na época: era 1987, The Edge tinha cabelo comprido (hoje nem cabelo tem!), Adam estava sem camisa! Sem camisa! O que me surpreende realmente, porque ele é super reservado, Bono está meio Hanson, às vezes meio Freedie Mercury... Larry é o único "sóbrio", o que não significa que ele não está pirando como os outros. As pessoas sobem nos postes, as outras começam a dançar freneticamente, todos estão felizes!!! Os guardas de trânsito estão doidos, os policiais estão tentando manter a ordem, acabam com a festa, Bono é detido, as pessoas atrapalharam o trânsito, porque por algum tempinho se sentiram em um lugar onde as ruas não tinham nome, onde podiam dançar, pular, gritar! O clipe foi um sucesso! 


No blog Sombras e Árvores Altas (onde você encontra material e informação sobre o U2 que você nem imagina!) uma das explicações sobre a música é que "O título, sem dúvida, baseia-se no tempo que Bono e sua mulher Ali passaram na Etiópia em 1986. Eles foram para lá como voluntários, trabalhando com agências de ajuda humanitária, distribuindo comida e auxiliando com saúde e iniciativas educacionais. Bono voltou à Irlanda, para o mundo ocidental, com um profundo sentimento do vácuo no coração da vida contemporânea. “O espírito das pessoas que eu encontrei na Etiópia era muito forte”", Bono disse. “Não há dúvida de que, mesmo em situação de pobreza, eles tinham alguma coisa que nós não tínhamos. Quando voltei, percebi que as pessoas no Ocidente são como crianças mimadas” e também que "Outra inspiração de Bono para a composição foi a de uma história que ele ouviu falar sobre as ruas de Belfast, sobre a idéia de que é possível identificar a religião e renda de uma pessoa com base na rua em que vivem. Ele lembra: "Isso me disse algo, e então eu comecei a escrever sobre um lugar onde as ruas não têm nome."".
"A cidade está inundada, e nosso amor se enferruja. Nós fomos malhados e assoprados pelo vento, esmagados em poeira. Eu te mostrarei um lugar acima das planícies desérticas onde as ruas não têm nome".
Que lugar é este, Bono? Que lugar é este onde não dizem o que somos por onde moramos, onde nosso amor não se enferruja, onde as pessoas são gentis, onde as ruas não tem nome? Que lugar é este? Um dia eu e talvez o U2 também estaremos em um lugar onde as ruas não tem nome, onde nós é que temos novos nomes, onde o nosso amor não irá enferrujar e onde vai ter festa! Onde seremos gentis, amáveis e felizes.

Esse outro vídeo é da mesma música, eu poderia ter procurado um de melhor qualidade, mas esse foi um dos melhores legendados que achei e não deixa a desejar. 


Love, love, love... ♪ É só o que haverá neste lugar, só haverá amor nos pátios da casa do Senhor, no seu interior, ó Jerusalém! Aleluia!. (Salmo 116: 19)

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

O último Samurai


Todos, é unanimidade, todos que eu conheço que já assistiram este filme não tem outra opinião a respeito a não ser a de que ele é PERFEITO. Um filme LINDO! Eu já assisti umas quatro vezes, vou acabar comprando, porque alugar o tempo todo não dá! E recomendo a todos que assistam, porque mesmo que você diga que não faz seu estilo, tenho certeza que a história vai lhe emocionar. No Filmow não tem sequer uma pessoa que fale mal!


É um dos filmes que não teve o título alterado, uma raridade! 
Em 1870 é enviado ao Japão o capitão Nathan Algren (Tom Cruise), um conceituado militar norte-americano. A missão de Algren é treinar as tropas do imperador Meiji (Shichinosuke Nakamura), para que elas possam eliminar os últimos samurais que ainda vivem na região.Porém , após ser capturado pelo inimigo, Algren aprende com Katsumoto (Ken Watanabe) o código de honra dos samurais e passa a ficar em dúvida sobre que lado apoiar. [Filmow]



O Nathan Algreen (Tom Cruise) é apaixonado pelos "selvagens", pelos "renegados", seria o cara perfeito pra fazer missão urbana rs, mas, voltando ao assunto, ele tem uma simpatia pelas outras culturas, e renega a sua. É um personagem interessantíssimo, muito rico em detalhes, cheio de problemas. Outro personagem muito bom também (todos são!) é o Zeb, amigo do Nathan. A lealdade que existe entre eles é uma coisa incrível, é muito bonito mesmo. 



Cenas muita lindas (quando estiverem assistindo, porque não é possível que depois de eu babar tanto esse filme aqui nest post vocês não vão assistir!, prestem muita atenção):

  • A primeira vez em que Katsumoto olha Nathan lutando. É uma cena chocante!
  • Execução do general Hasegawa: ele se recusa a lutar contra Katsumoto, mas está do lado errado.
  • Chegada dos Samurais em casa: puro respeito. Cena lindíssima.
  • Morte de Nabutada, com certeza uma bela morte, parecida com aquela de 300, onde o filho de um dos líderes morre. Esta guerra por sinal é assunto de uma conversa entre Nathan e Katsumoto.
  • Algren abraçando seu novo "filho". 

O protetor de Nathan o protegeu até o fim - vocês podem não entender agora o que estou dizendo, mas assistam que tudo vai ficar claro! Nathan Algren é o melhor antropólogo que existe! A trilha sonora é LINDA! O imperador é um merdinha. Depois que você assistir vai entender o que é honra, respeito, disciplina e paixão pelo que faz e pelo que acredita.

Assistam, sério. Vale muito a pena.



sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Parceria entre blogs: ?

O que significa ser parceira de um blog? O que significa ter um blog parceiro? Sinceramente, ainda não entendi muito bem. Aparentemente parece que é só cada um colocar o banner do próximo em seu blog. Tenho parceiros também, e entrei nessa sem saber onde estava me metendo e o que deveria fazer...

Por aqui na internet encontrei o seguinte significado:
"associação de entidades (duas ou mais) para desenvolverem ação conjunta com vista a atingirem um objetivo determinado." [Dicionário inFormal]
Será que isto se aplica à parceria de blogs?
Ação conjunta?
Objetivo?
Tenho minhas dúvidas. Fico muito triste quando vejo que esse lance de parcerias na maior parte é só pra fazer promoções, na maior parte nem se gosta do blog que está pedindo pra ser parceiro, mas, sabe como é, quanto mais melhor...

Depois desse post o que faço com minha página de parcerias? O que faço com meus parceiros? Que ação conjunta estamos fazendo? Qual é o objetivo?



Não sei o que eles fazem, mas eu tenho um objetivo e faço minhas ações: sou a blogueira que comenta nos blogs alheios com muita sinceridade e que divulga o que acha bom, sem se sentir pressionada. Mas de agora em diante, parcerias só por gosto mesmo!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

"Antes de partir" e "Lado a lado".

O título da postagem não poderia ser mais direto! Indico dois filmes que assisti esta semana: Antes de Partir (2007) e Lado a Lado (1998).

Lado a Lado


Tem, nada mais, nada menos que a Julia Roberts como parte do elenco. O filme é longo, mais de duas horas; duas horas que você primeiro se zanga, fica com raiva de todo mundo, depois começa a compreender, depois sente pena, depois acha que está no caminho certo e aí sim você chora, só chora. São duas mulheres, a ex, que é a mãe, e a atual, que está tentando se aproximar. As crianças sofrem com a separação, a filha, a mais velha, não aceita a nova namorada de jeito nenhum e a mãe também não.


O filme é muito lindo. E pode parecer clichê sim, mas o que seríamos sem os clichês? Sem o amor verdadeiro, sem o pra sempre...? É um filme onde você também, com um pouco de sensibilidade, pode perceber vários sentimentos, como o ciúme (em cada olhar... ), a possessão ("Eu sei os filhos que eu tenho!"), a indecisão (contar ou não contar?) , a vontade ("Deixa eu me aproximar deles!"), o medo... Apaixonei-me pelo Ben, o garotinho do filme. Meu Deus, que criança linda, que sorriso lindo, ele é uma graça! Morro de rir das caras e bocas dele, e é o mais compreensivo, sempre sabe o que falar, mesmo não sabendo, sempre sabe de que lado ficar, mesmo não sabendo...

Por sua vez, a mãe das crianças (Susan Sarandon) ainda alimenta esta briga, fazendo o gênero "mãe perfeita". A fotógrafa (Julia Roberts) faz de tudo para agradar as crianças, chegando ao ponto de dar tanta atenção aos enteados que acaba perdendo o emprego, pois deixou de ser a profissional competente que era. Até que uma notícia inesperada muda completamente a relação entre os familiares. [Filmow]

Antes de Partir




Carter Chambers (Morgan Freeman) é um homem casado, que há 46 anos trabalha como mecânico. 
Submetido a um tratamento experimental para combater o câncer, ele se sente mal no trabalho e com isso é internado em um hospital. Logo passa a ter como companheiro de quarto Edward Cole (Jack Nicholson), um rico empresário que é dono do próprio hospital. [Filmow]
Já assisti umas quatro vezes e nunca canso! São dois homens completamente diferentes! Negro, branco; rico, pobre; casado, divorciado (duas vezes!); simples, requintado... Diferentes.



Eles fazem uma lista de coisas para fazerem antes de morrer e aí... Aí você tem que assistir pra rir, chorar, se emocionar e querer assistir de novo. Ou não. No elenco temos Morgan Freeman (o cara!) e Jack Nicholson, que por sinal fizeram uma parceria perfeita. Ainda dá tempo de fazermos muitas coisas antes de partir, mas o mais importante não é fazer tudo, é fazer o essencial, aquilo que te edifica, que te dá paz.


"O beijo da garota mais bela do mundo" - quem assistir vai saber do que estou falando!

Se ficou na dúvida se quer assistir ou não, então assista os vídeos com as trilhas sonoras de cada um. São lindas.





segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Ô coisa boa, siô!

Eu até entendo que tem gente que não gosta de forró, mas como uma boa nordestina, que curte música boa, não podia deixar essa música linda de autoria do Marron Brasileiro interpretado por Santanna, o Cantador, passar assim sem receber meus cumprimentos! Um forró pé-de-serra lindo demais! Você não é nordestino? Não gosta de jeito nenhum? Mas dá uma lida pelo menos na letra, vale a pena. E pra quem gosta e quem não conhece mas ficou curioso, um conselho: ouçam! Acredito que ninguém vai se arrepender de ouvir!



Pra cada lágrima triste que chorei surgiram dez poemas diferentes. Ao Pai agradeço a estrada que passei. Passei, e se Ele quiser vou novamente, pois quem acredita em Deus não tem medo da escuridão, aprende que quem faz o mal só merece perdão. Perdão que é o perfume da flor, do abraço, da solidão, sorriso no rosto e a bondade estampada nas mãos. Pra cada mentira que um dia suportei, em mim uma verdade falava docemente: que o bem não estava nas sobras que eu dei, o pobre é aquele que ajuda indiferente. Pergunte ao seu coração, se fez pensando em receber, se a gente pode ser feliz vendo o outro sofrer. Pergunte ao seu coração, se foi certo o passo que deu, porque se a gente melhorar pense você e eu: o amor é a benção que vem de Deus! Há quem diga que é só meu, o amor é de quem quiser, quem tiver! O amor é a chave de uma razão que sempre traz solução pra tudo que a gente quer!



É uma música linda e que, pra mim, é um louvor!

sábado, 25 de agosto de 2012

Fale contra o voto de cajado!


Esse período político é chato, ninguém gosta de ter seu programa favorito cortado por causa das propagandas que na maioria das vezes mais parecem programa de humor... Ladainha demais. Na rua não se olha outra coisa: cartazes por todos os lados, uma poluição visual louca, carros de som na sua hora de descanso que esses sim, eu tenho certeza!, desrespeitam todas as leis de poluição sonora urbana que podem existir! Enfim, já não basta esses pequeninos problemas (isso porque não falamos da corrupção) surge outra moda agora, não é exatamente agora, mas é atualmente que ela vem se fortalecendo mais e mais; estou falando do políticos cristãos, mais especificamente os evangélicos.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Meu melhor amigo

E quem de vez em quando não quer ter alguma pessoa que saiba nos ouvir? Quem não gostaria que alguém pudesse saber EXATAMENTE o que há dentro do nosso coração, do nosso pensamento? Afinal, quem não já passou por aquela situação de estar sentindo uma coisa e querer contar pra alguém só que quanto mais você explica mais a pessoa não entende! Você começa a fazer analogias, começa a dar exemplos e a pessoa fala: "Ah tá, entendi!", mas você sabe, você sente, que ela não entendeu nada... Às vezes nem a gente mesmo entende, é verdade, aí mesmo que surge a necessidade maior ainda de ser ter alguém que se possa chamar de amigo, pra te explicar o que você está sentindo. Nem sempre é necessário ir a um psicólogo pra se entender, um amigo muitas vezes faz esse papel, não o de ficar aconselhando, falando abobrinha... mas entender. Compreender. É bom quando a gente conhece uma pessoa assim, não?

sábado, 18 de agosto de 2012

Risíveis Amores - Milan Kundera

Meu exemplar tem a mesma capa, mas
é a 14ª edição.
O livro é datado da década de 60, são contos tchecos. Milan Kundera é conhecido por um outro livro, A Insustentável Leveza do Ser, que também já foi filme, altamente aclamado pelos românticos de plantão.

Este foi um dos livros que mais demorei a ler. Ele nem é grande, mas é muito complexo. Sim, são contos complexos sobre o amor conjugal em várias formas. Então fui passando algumas coisas na frente e coisa e tal e tal e coisa... Mas terminei! De 1 a 5, nota 3,82... rs, 4. É que ele é muito bom, muito interessante, mas não muda a tua vida. Vale a pena ler sem compromisso. Se quiseres tirar realmente bom proveito dele terás que sentar a tua bunda e colocar a cabeça pra funcionar, porque você nunca verá tanta filosofada inteligente sobre o amor como neste livro. Outra coisa que me surpreende é que ele mostra algumas sensações e atitudes do ser humano que fazemos o tempo todo, mas que nem pensamos a respeito, que fazemos automaticamente, maliciosamente, ingenuamente.

Eis alguns trechos interessantes:

"Então ele perguntou a si mesmo qual era exatamente o balanço desse personagem (com cabelo) que em breve iria se aposentar, o que teria vivido exatamente e que alegrias de fato conhecera, e constatou com espanto que eram bem poucas essas alegrias. Sentia-se enrubescer sob a ação desse pensamento; sim, tinha vergonha: pois é vergonhoso ter vivido tanto tempo neste mundo e ter vivido tão pouco." (Que os velhos mortos cedam lugar aos novos mortos - p. 144)
"(...) uma alegria que tem a obrigação de substituir outras alegrias torna-se rapidamente uma alegria gasta." (O Dr. Havel dez anos depois - p. 179)
"Mas, precisamente porque se tratava do julgamento dos outros, não ousava fiar-se em seus próprios olhos; até então, ao contrário, tinha se contentado em dar ouvidos à voz da opinião pública e identificar-se com ela" (O Dr. Havel dez anos depois - p. 181)
"Mas eu moro e vou continuar morando aqui. Sempre o mesmo círculo de pessoas que já conheço de cor. Sempre as mesmas pessoas, que pensam todas a mesma coisa e cujos pensamentos todos são apenas bobagens e lugares comuns. É preciso que eu me dê bem com elas, queira ou não, e eu me adapto a elas, pouco a pouco, sem me dar conta! Que horror! Pensar que poderia me tornar uma delas! Pensar que poderia ver o mundo com seus olhos míopes!" (O Dr. Havel dez anos depois) - p. 186). (Obs: é assim que me sinto às vezes...)

Como podem perceber o conto que mais gostei foi "O Dr. Havel dez anos depois", mas também amei "Eduardo e Deus" que é muito bom!

Milan Kundera