"Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos." (Salmo 119:10)

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Da série "eu odeio..."

 

Eu odeio pessoas incompreensíveis, sim, eu odeio porque se tem uma coisa que em qualquer tipo de relacionamento é extramemente necessário é compreensão. Precisamos compreender que nem todos os dias as pessoas estão de bom humor, nem sempre as pessoas estão 100% disponíveis, nem sempre estão saudáveis, nem sempre são amigáveis, nem sempre querem companhia, nem sempre.
Confesso que um dos meus maiores defeitos é me preocupar demais com o que pensam de mim. Por vezes acho que isso é uma qualidade, mas nessas horas de raiva eu vejo que é um defeito mesmo, porque mais uma vez eu me zango sabendo que essa minha tristeza/raiva toda não vai dá em lugar algum. Tenho raiva até disso também. Olhem, sou pequena, tenho menos de 1,60m e não peso nem 50kg, mas não por isso e mais a minha carinha infantil e também não é porque sou cristã e faço psicologia que sou um anjo de pessoa, eu deveria (deveria?), mas não sou. Não conheço ninguém mais explosivo que eu. Não queira me ver com raiva, não queira me ver sem paciência, o que eu tiver nas mãos vai sair voando. É um defeito dos grandes. Já perdi muita coisa com isso. Já sofri muito por ser assim, já quebrei ventiladores nessa graça e minha camera está até hoje com um probleminha por causa disso também. Eu me zango por besteira sim, mas me zango por coisas muito sérias e importantes pra mim também, como por exemplo: comentários a meu respeito. Fico na dúvida se "quem cala consente" ou se "não responda porque aí não altera sua imagem"...

Quando se trata das minhas amizades (ou pelo menos as que eu acho que tenho) eu procuro sempre ir atrás, saber o que aconteceu, falar que eu não gostei e etc. e odeio quando não me respondem, porque parece uma resposta invisível assim: "Nem vou te responder porque sei que tenho razão mesmo!". É, talvez até tenha. Talvez eu realmente não seja a melhor amiga que alguém pode ter: eu esqueço datas de aniversários, eu falto a festas de aniversários, eu não estou presente todo dia. Mas não é nada feito por e/ou com maldade. Minha consciência quanto a isso está limpa, porque não é que eu PREFIRA isso ou aquilo, mas simplesmente porque imprevistos e previstos acontecem e compromissos não podem ser simplesmente desfeitos.

Eu tenho entrado em crise, fico vendo e revendo se realmente me encaixo, que existem coisas em comum sim, existem, mas... e além disso? Eu que não me permito? Ou realmente não há espaço? Bem, independente de tudo isso ainda fico feliz por existirem poucas pessoas que me compreendem, que já ficaram sem minha presença inúmeras vezes e ainda sim me ligam dizendo que me amam. Sou tão feliz porque sei que estes são pra sempre. Desses tenho certeza. Não uma certeza da boca pra fora. Uma certeza invisível, que realmente não precisa ser comprovada através de agenda lotada e sim de cumplicidade absoluta e infinita, amável e amigável, tranquila, sem prisões.

Agora uma musiquinha "leve" pra servir de trilha sonora enquanto pro desabafo doido de cima. Acho que com a música vai dar pra entender até melhor! Não levem bem ao pé da letra, rs. Mas prestem atenção nas partes grifadas. =)

MATANZA - EU NÃO GOSTO DE NINGUÉM

Não me faça nenhum favor, não espere nada de mim, não me fale seja o que for. Sinto muito que seja assim. Como se fizesse diferença o que você acha ruim. Como se eu tivesse prometido alguma coisa pra você. Eu nunca disse que faria o que é direito, não se conserta o que já nasce com defeito. Não tem jeito, não há nada a se fazer. Mesmo que eu pudesse controlar a minha raiva, mesmo que eu quisesse conviver com a minha dor, nada sairia do lugar que já estava, não seria nada diferente do que sou. Não quero que me veja, não quero que me chame, não quero que me diga, não quero que reclame. Eu espero que você entenda bem: eu não gosto de ninguém. ♪




HAHA' Adooooooooro essa música!

3 comentários:

Marília disse...

Tava no face e vi que tinha postado, olha essa é minha música rsrs, gritei aos quatro ventos há uns tempos atras, tava de saco cheio de algumas pessoas, e sei lá pode ser encanação minha, síndrome de perseguição, mas percebo as coisas no ar, um olhar torto, uma palavra não dita ou dita de maneira estranha. Aí chutei o pau da barraca e comecei escutar "Eu não gosto de ninguém" foi uma bela terapia, estou mais desencanada com que os outros pensam. Adoro Matanza!
Bjos Teffi e obrigado pelo inteligente e linda no post abaixo kkkk

Luis Gustavo Sodre disse...

se vc se refiriu aquela postagem no grupo, sobre nivers e tal, eu ñ falei nada pq entendi perfeitamente a situação(até curti o comentario :D), mas tbm fiquei na dúvida se os outros tinham entendido tbm... sei como é chato qndo as pessoas ñ tentam se por no lugar alheio e verem por um outro ponto de vista, por isso estou contigo, nem sempre estamos disponiveis, nem sempre queremos contar nossos segredos, queremos ficar sós {nem sempre}! mas ñ fique chateada com isso, é coisa pequena pois qndo chega a hora mais ninguem se lembra(êta q rimou! xD) pessoas empáticas como nós sempre se chateam com pessoas q não são empáticas(por falta de reciprocidade). depois q passar o sentimento de raiva, procure músicas mais calmas! xD kkkkkk acho q nesse tipo de situação se acalmar é a melhor coisa a se fazer antes de decidir coisas sobre si ou outros. ^^
õ/

Paper, Ink & Music ... disse...

Nossa, você me definiu aí! hahaha...Sou assim mesmo, me zango com coisas bobas e sérias também...e a música fez jus ao post :D ... já vou colocá-la na minha playlist, tem muito a ver comigo hahaha ...xx