"Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos." (Salmo 119:10)

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Symptômes ...



Um dia você conhece uma pessoa em algum lugar praticamente inesperado...
Na rua, andando... Numa visita à casa de uma amiga, numa igreja, num bairro legal, na internet...
Seja lá o que for, isso de certa forma só importa no "depois", quando você vai contar a história ... ;)

Aí surge aquele olhar, aquele olhar tipo: "você é um bom partido" (ai ai ai ui ui)
E quando você se dá conta, surge uma oportunidade do nada, repentinamente (mesmo!) e você se aproxima daquele cara altamente interessante! (humm...)

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

cette marée remplit et vide

Bom, meus pensamentos, meus atos e minhas escritas existem em função dos acontecimentos que eu vivo a cada dia. E isso não acontece só comigo, com todo mundo é assim.
E o que tem acontecido comigo ultimamente? O que tem movido minhas palavras, meus pensamentos, meu suor e meu frio?

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Ai ai, os últimos tempos. As doces palavras.

Olha gente, meu blog não está abandonado, viu?

Bom, ele está abandonado sim, mas não porque eu quero. É que o tempo anda curto e de preferência contra mim. :/

Nos últimos tempos tenho experimentado sensações tais como desprezo, decepção, ilusão e desilusão. Os piores sentimentos possíveis, mas também os mais fortalecedores; no entanto, tenho passado por momentos de luta ao lado do meu namorado, e tenho me fortalecido quanto à minha maturidade em relação a ter alguém ao
meu lado. De preferência permanentemente.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Um dia após o grande dia.



Este texto foi escrito no dia 18.11.2009, um dia após um grande dia.

Não há experiência e história mais interessante e especial para contar, e por alguns momentos novamente sentir, do que a emoção de encenar, de subir no palco e se perder com prazer e felicidade em falas, em gestos, em marcações, em tudo aquilo que durante os ensaios se torna algo repetitivo, irritante, cansativo e estressante.

domingo, 8 de novembro de 2009

Vivo!


Venho escrevendo muito sobre o amor, sobre os sentimentos, sobre o que venho sentindo, tentando explicar e demosntrar da melhor maneira o que se passa no meu coração e na minha mente. Tanto que isso já está ficando meio clichê e deveras depressivo.

Por isso, hoje, tanto por falta de inspiração quanto por vontade de mudar (não vai ser uma mudança radical), postarei aqui um
trecho, mais propriamente dito o Art.1 da Convenção dos Feridos por Amor de um livro de Paulo Coelho, "O Livro dos Manuais".
Ainda não terminei de lê-lo, não porque ele é grosso ou algo assim, por falta de tempo mesmo.
Vamos logo começar com isso:

"Disposições Gerais:

1-Em se considerando que está absolutamente correto o ditado "tudo vale no amor e na guerra";

2-Em se considerando que na guerra temos a Convenção de Genebra, adotada em 22 de agosto de 1864, determinando como feridos em campo de batalha devem ser tratados, ao passo que nenhuma convenção foi promulgada até hoje com relação aos feridos de amor, que são em muito maior número;

fica decretado que:

Art.1- Todos os amantes, de qualquer sexo, ficam alertados que o amor, além de ser uma bênção, é algo também extremamente perigoso, imprevisível, capaz de acarretar danos sérios. Conseqüentemente, quem se propõe a amar deve saber que está expondo seu corpo e sua alma a vários tipos de ferimentos, e não poderá culpar seu parceiro em nenhum momento, já que o risco é o mesmo para ambos. (..) "

Eu não estou sofrendo por amor, muito pelo contrário, estou vivendo-o intensamente, todos os dias, de várias formas.
E vivendo-o tenho percebido que estou adquirindo sapiência, sabedoria, amadurecimento.
Sinto verdadeiramente muita pena de quem ainda não teve a oportunidade de

viver o mesmo sentimento que vivo hoje, e mais pena ainda de quem não se permite.

Finalizando, a Determinação Final da Convenção dos Feridos por Amor:

"Determinação Final: os feridos por amor, ao contrários do feridos em conflitos armados, não são vítimas nem algozes. Escolheram algo que faz parte da vida, e assim, devem encarar a agonia e o êxtase de sua escolha.
E os que jamais foram feridos por amor, não poderão nunca dizer: "Vivi". Porque não viveram."

- Paulo Coelho é muito sensível : fato.
- Steffi de Castro é extremamente romântica: MAIS fato ainda!
__________________________________________________________

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Sem final...

Bom, desde que decidi viver na blogosfera, procuro aguçar todos os meus sentidos, procurando assim, inspiração. Hoje assisti um filme chamado "Minhas adoráveis Ex-Namoradas", que fala sobre um cara chamado Connor Mead, que acha que a vida foi feita para o sexo, para o divertimento, mais propriamente : brincar com os sentimentos dos outros, no caso, as mulheres.
O que acontece é que algo mágico muda tudo para mostrar que na verdade, essa não é a natureza dele, mas sim, o fruto de uma decepção da qual ele nem lembrava mais. Bom, aonde eu quero chegar aliás, já que não quero falar sobre o filme (minha fase crítica ainda não floresceu!)? É que eu chorei assistindo o filme, tá, não é novidade, mas chorei. Chorei porque não acreditei que alguém como ele pudesse existir, uma pessoa que não tem escrúpulo nenhum com os sentimentos alheios, com o sentimento existente no coração do próximo.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Set me Free!

Eu estou deprimida mesmo... E daí?



Limites!
Ah, sim, os limites da nossa vida!
Assim como as vontades, os desejos, os sonhos, as paixões, as crenças... Temos também nossos limites.
Limites estes que podem ser impostos por si mesmo, ou por outras pessoas.
Limites físicos, mentais, espirituais, carnais...
Todos dizem respeito a algo que muda toda uma sociedade, ao sonho real de todo ser humano, ao motivo de todas as brigas e as revoluções mundiais, a LIBERDADE!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Selo! (Obaaaa!)


Bom pessoal, hoje escreverei um post diferente dos demais!
Ganhei um selinho!
Pois e, não, não é isso que você está pensando: ninguém me tascou um beijinho! =D
Eu ganhei um selo no meu blog, neste que você está lendo! =D

Fui presenteada pelo Sammy, do blog Caixa Preta.
Bom, é importante explicar a importância e a felicidade que é ganhar um selo:

Ganhar um selo significa dizer que todos os seus esforços de escrever textos e divulgar o seu blog, que provavelmente está cheio de ideias, opiniões e desabafos (talvez sutis ou não) seus, não foram em vão. Você não é pago pra materializar em forma de palavras o que está na sua mente, aqui no Blogger City, este pagamento é feito através de comentários, de "parabéns", de visitas e de SELOS! Pois bem, já expliquei, agora vou mostrar, este é o selo: (tão paqueraaando meu blog!)
Bom, a regrinha é simples, preciso presentear outros 5 blogs com este selo, os 5 que receberem também farão a mesma coisa e assim vai se formando o ciclo, ok?
Aqui vão meus 5 blogs preferidos!
Ah, uma observação: eu gostaria de retribuir o Caixa Preta, mas aí ele vai ter dois selos iguais! Bom, Sammy, obrigada mais uma vez!

Agora sim, os 5 blogs:
Pergaminhos, da Isabel.
Áspera Seda, do Michel F.M.
@narede, da Rosângela.
Verita, do Andrei Vinicius e


sábado, 31 de outubro de 2009

Solidão.

Nossa vida é um eterno ciclo, onde existem altos e baixos, uma verdadeira montanha-russa.
Hoje você pode estar rodeada de pessoas, cheia de amizades, se sentindo completa por ter pessoas como você ao seu lado. Amanhã você pode estar sozinho, e se sentindo solitário.
-
Eu achava que tinha muitos amigos, estava o tempo todo rodeada de gente, me sentindo completa. Um dia eu tive que tomar uma decisão, e a partir desta decisão, todas as pessoas que eu achava que iam ficar comigo para sempre, se foram. Então, eu não fiquei totalmente só, mas me sentia muito solitária, porque nunca tinha vivido tal situação, pelo menos era isso que eu achava, porque depois, lembrei do antes, do bem antes de todas aquelas pessoas. De quando eu não as tinha e de até mesmo quando eu as tinha.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

"preguiça de pensar em nos preparar novidades"

Existem dias que a lembrança nos chega à mente repentinamente. Algumas vezes nos fazendo rir, outras nos fazendo chorar.


Lembrar do que se foi um dia sempre nos remete a algo que, obviamente, já passou, não é mais, fomos, mostrando a nossa (por mais maduros e experientes que sejamos) inconstância.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Se o sucesso congelasse


A vida é tão cheia de surpresas, tão cheia de contrações, tão cheia de amor para se viver, para se desfrutar, ao mesmo tempo que para sofrer, para querer!

Como dizer de uma forma mais simples e clara que nossa vida é guiada totalmente pelos nossos atos? Assim já parece simples, mas não é. Pense: tudo, tudo, tudo e todos dependem do que você decide pra si mesmo. Depende da sua vontade de respirar, de comer, de beber, de dormir...
Estamos todos interligados num ciclo sem fim,
vicioso, por sinal.

O seu crescimento hoje pode significar o fracasso de uma outra pessoa, o seu fracasso hoje pode render-lhe lágrimas, mas para outros pode ser a melhor coisa que aconteceu. Será que os que dizem bons, honestos, desta forma são honestos de verdade?

O sorriso que te faz sofrer e ganhar e que outra pessoa não tem pode ser o ponto chave para a tristeza alheia. Será que ser tão legal e estonteante é tão bom assim, já que sempre vai haver pessoas que tenham sua imagem apagadas ao seu lado?
O que significa tudo isso?
Isso diz respeito ao ciclo de maldades no qual muitos dizem que não estão incluídos, mas a verdade é que todos estamos incluídos nele.
E quando melhores são os seres HUMANOS, mais desumanos eles vão se tornando...
Quanto mais eles sobem, mais pessoas vão ficando para trás.

No fundo ninguém que é bom de verdade em tudo que faz quer realmente ser, é o institinto, ou melhor, o conhecimento natural, os talentos que saem de seus corpos por todos os lugares, por todos os poros. Os bons em tudo respiram e suspiram coisas boas, honras, alegrias, conquistas, e enquanto isso, vão tomando o ar dos outros.

Seria bom se cada um respirasse nitrogênio líquido, talvez esse sucesso congelasse e todos passassem a gostar mais de mim.
Sim, eu preciso parar de crescer pra conseguir mais amigos,ou então, encontrar pessoas que se alegrem com minhas conquistas, pois eu não quero tomar o ar de ninguém.



terça-feira, 27 de outubro de 2009

Confiança

Que relacionamento hoje sobrevive à falta de confiança? Com certeza nenhum. Não um relacionamento que se diga sério e compromissado.

A confiança é o alicerce do amor, é ele que sustenta todas as promessas, todos os desejos, todas as vontades, todos os sonhos.

Sem confiança tudo passar a ser um jogo, propriamente dito, um jogo de azar, onde, por mais que nenhuma das partes tenha feito algo de errado, um sempre tenta pegar o outro na mentira.

O coração de quem sofre desse mal é triste, conturbado e desnorteado.
Onde não há vida, no entanto, sempre há esperança, de uma hora ou outra ouvir:
"Eu acredito em você, eu confio em você".

Confiar é a melhor maneira de demonstrar o amor, aliás, onde há amor de verdade, há confiança, compreensão e reciprocidade, além de palavras, beijos, promessas, sonhos, realizações e fé.

Palavras de amor,
Beijos que demonstrem carinho,
Promessas que são cumpridas,
Sonhos que depois são realizados,
Realizações que um dia foram sonhos e
Fé em Deus e Jesus Cristo de que tudo vai dar certo.

domingo, 25 de outubro de 2009

I was wrong, it's always trying to hit.



Se eu erro, é sempre tentando acertar.
Quando nosso coração está cheio, conturbado e confuso, nossa vida fica de cabeça pra baixo, e mesmo que você esteja rodeada de pessoas, parece que não existe nada além de você.
Você, uma pessoa tão sem graça, tão sem forças, tão sozinha e tão a mesma.
Depois de tanto chorar, de tanto pôr pra fora seus problemas através de pingos salgados, frutos de seu próprio corpo, você acaba criando uma certa resistência à auto-piedade. Você não quer mais admitir opinões que não sejam as suas, você não dá a menor importância para quem não te quer e não se preoucupa tanto com os problemas que vão aparecendo.
É assim o processo de amadurecimento que todos nós por um dia passamos ou passaremos.

Talvez seja por isso que hoje não se vê mais amor, alegria e vida nos olhos das pessoas, muito menos nos seus sorrisos, simplesmente pelo fato de nem sequer sorrirem.
As pessoas sofrem muito, passam por humilhações, queixam-se demais... E isso faz com que seus corações e suas mentes congelem, é uma defesa à sensibilidade. Chorar, rir, se sentir feliz, se sentir cansada, tudo isso passa a ser sinal de fraqueza.
E você não tem mais vergonha de dizer que não quer, que não gosta, porque não importa mais se o seu próximo vai se sentir mal, vai ficar triste.
O amadurecimento que hoje somos impostos a viver, nos remete a uma vida alienada do que devíamos viver realmente, não somos mais HUMANOS, somos máquinas, somos seres apenas existentes, e não viventes.
Todos esqueceram a essência do que é SER, o lisonjeio de poder absorver conhecimento, de poder ter sabedoria, de poder querer viver o amor, de poder sentir a dor, e entregar-se à ela pra depois se levantar vitoriosamente e dizer: "Eu consegui!"
Parece que ninguém mais quer passar por tais situações!

Eu quero amadurecer, mas no sentindo de sentir mais aquilo que eu amo, de conhecer mais daquilo que eu gosto, de tomar atitudes certas baseadas nos meus sonhos e pensando em quem eu quero que viva-os comigo.

Se isso é um erro, eu pretendo continuar errando, porque se eu erro, é sempre e sempre será tentando acertar.

sábado, 24 de outubro de 2009

Oi!


Excluí o outro blog sem querer...
Mas aqui estou recomeçando!