"Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos." (Salmo 119:10)

domingo, 12 de maio de 2013

Tá na coleira, tá?

Eu venho pensado bastante nesse assunto ultimamente, não tem um porquê exatamente, mas é uma situação que eu vejo constantemente, que talvez eu tenha vivido, e que, enfim, eu acho ridícula mesmo.

Num relacionamento é extremamente importante e necessário que um leve em consideração o que o outro tem a dizer, se é casamento então, mais importante ainda. Num relacionamento sério, com propósito e etc., a opinião do outro é sempre válida e tem que ser ouvida, o que não significa necessariamente que deve ser "seguida", obedecida. O que quero dizer afinal? O que quero dizer, da maneira mais simples que tem pra  se dizer: é ridícula a maneira como alguns homens se comportam, tendo que pedir permissão pras namoradas, saindo escondidos e com horários pra chegar! Ridículo, ridículo, ridículo. Não consigo enxergar situação mais vergonhosa que um homem pedindo permissão pra namorada pra sair, assim como acho ridículo uma mulher pedir também, mas, como machista que reconheço que sou, não tenho medo de falar que: se é feio pra mulher, que dirá pra homem. Não estou dizendo aqui que homem que é homem faz o que quiser e não tá "nem aí" pra sua companheira, não é isso, como eu disse no início, as opiniões devem ser levadas em consideração, desde que não ultrapasse a linha da dignidade e do respeito mútuo. É claro que, se eu tenho namorado, vou me privar de fazer algumas coisas, mesmo que não tenha problemas nenhum, para evitar certos comentários ou até mal entendidos, assim como, se o cara tem namorada, é claro que algumas coisas devem ser dosadas, é uma questão de bom senso e equilíbrio, mas nada de submissão!

Algumas mulheres adoram fazer seus namorados e maridinhos de capachos, adoram colocar os bichinhos nas coleiras e têm orgulho de dizer: "esse aí eu boto na linha!". Quando ouço uma mulher falando isso o pensamento que vem à minha cabeça é: "tu bota na linha porque ele não é homem de verdade." Porque, sinceramente, homem que é homem não se submete a essas coisas! No meu último e mais duradouro relacionamento (5 anos) eu via as pessoas falando: "Não sei como tu deixa ele fazer essas coisas!". Eu não deixava, ele não pedia minha permissão. Não vou dizer que não ficava com raiva às vezes, porque algumas coisas eu não gostava mesmo, e outras eu achava um p. sacanagem, mas eu me orgulhava de ver e dizer que ele era independente de mim e que ele tinha a vida dele. Por outros fatores não continuamos o relacionamento, mas disso eu tenho e tinha orgulho: ele não era um capacho e eu nunca quis que assim fosse. O mais engraçado é ver alguns cheios de marra, mas todos encoleirados... Engraçado e triste.

Uma mulher que convive com um homem assim pode até ter mais problemas, se zangar mais vezes e etc., mas eu prefiro.  Que fique claro que só isso também não é suficiente, não adianta ele ser homem pra mulher e não ser homem pra ser pai; não adianta ele ser homem pra mulher e não ser homem pra não pensar no futuro; não adianta ele ser homem pra uma mulher se quer ficar com várias ao mesmo tempo... Alguém pode dizer que eu sou uma idiota escrevendo essas besteiras, rsrs, pode ser, mas é que eu acho incrível quando vejo uma mulher se orgulhando, falando de boca cheia, que domina seu marido, como se isso fosse motivo pra se orgulhar! Em um relacionamento é preciso ceder e aceitar, simultaneamente e mutuamente. Você começa a namorar com um cara e aí quer transformá-lo inteiro? Quer proibir o garoto de fazer tudo o que ele gosta? E se ele fizesse isso com você? Ia ser legal? Se as pessoas são maduras elas vão percebendo que, pelo bem da relação, é possível ceder a abdicar de certas coisas para permanecerem juntas, coisas que  se deixadas de lado não vão fazer ninguém morrer, mas é preciso que cada um aceite também a individualidade do outro, agora dois se tornam um, mas não há problema em manter aquilo que ele ou ela sempre teve, que faz parte da sua constituição como pessoa única, cedendo por aqui, aceitando ali, vocês crescem juntos, aprendem juntos. Nada de submissão, nada de ciúme exacerbado e insegurança demais. Nada de colocar coleiras no outro. Nada de querer transformar seu homenzinho em um cachorrinho de raça, adestrado. Namoro e casamento não é uma brincadeira de puxar a corda pro seu lado e o lado mais forte ganha, está mais para uma balança, onde os dois precisam estar em harmonia para que não haja invasão nem opressão. E outra, pode ter certeza, se o garoto é um desses de coleira, ele deve ser motivo de piada para os amigos mais felizes, eu falo mal dele e os nossos amigos também.

Se você é um desses que é dominado, sua adorável companheira deve contar vantagens, pode apostar, é mais ou menos assim:



Provavelmente algumas coisas que você deve fazer pode soar como "fofo", mas não se sinta feliz por causa disso... Essa história de que toda mulher gosta é de fazer o homem se arrastar... tá, pode até ser legal às vezes, todo mundo gosta de receber atenção, mas ninguém gosta de "fraqueza", eu, pelo menos, acho ridículo homem que demonstra essa fraqueza toda. Fica a dica e minha inútil e desnecessária opinião sobre o assunto. o/

Nenhum comentário: