"Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos." (Salmo 119:10)

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Nada.


"O que você acha que tem depois da vida?"
"Nada".

"Nada" foi o que Eric Kandel, ganhador do Prêmio Nobel de Medicina disse. Nada após a morte. Simplesmente nada. Essa resposta me assustou muito, principalmente depois de ter visto o mesmo homem sorrindo, brincando, ajudando outras pessoas, fazendo amizades e chorando pela vida perdida de parentes e amigos. Então depois da morte é nada? Então eu só devo me preocupar em fazer alguma coisa por este mundo e esperar que na memória alheia fiquem meus traços e meus feitos?

Algumas pessoas conseguem viver assim, mas eu não. Uma das respostas para eu ser cristã é justamente isso: Jesus me dá esperança. Você consegue viver mais um dia aqui esperando nada? Esperando por coisa alguma? Aliás, esperar não é o termo certo nesse caso, porque simplesmente não se espera. Se vive e acaba. Esperar o quê?, se amanhã posso morrer e então virá o nada? Que nada é! O nada é tão infinito quanto a vida eterna, é tão assustador e difícil de se entender que livros inteiros foram escritos sobre ele e ainda assim restam dúvidas, é tão complicado que sua infinitude não cabe em nossa mente limitada, porque o nada é nada. Ele não existe. Existe quando eu falo dele, mas ele por si só... é nada.

Não consigo viver assim, viver sem ter um porquê. E para que ter porquês se de alguma forma irei ao nada mesmo...?

Foi a resposta mais triste que eu já ouvi. É a coisa mais aterrorizante em que posso pensar.
Já disse que tenho medo da morte? Penso nela constantemente. E vocês podem falar: "mas é cedo!". Quem me garante? Penso na morte e morro de medo dela. E sou cristã, sei que vencemos a morte. Vencemos por que há a esperança da ressurreição, mas pra ressuscitar é preciso morrer. E tenho medo de morrer. Tenho medo de envelhecer. Tenho medo de adoecer. Tenho medo de perder as pessoas que amo. Tudo o que lembra e se aproxima da morte me dá medo. E por isso minha limitada existência não me deixa pensar no nada. Preciso crer em algo a mais, em algo ALÉM!

Não acredito em reencarnação, não acredito em várias vidas. Acredito nessa vida e acredito na vida em outro tempo. É complicado? Eu acredito que algum dia essa minha mesma carne irá novamente se movimentar. Não em outro corpo, não em outro plano. Enfim, não sei como será, mas acredito nela: a Ressurreição.

A morte de Jesus é o que nos deu vida, mas o que nos deixa de pé, o que nos mostra que as coisas não irão pro nada, a prova, é que Ele ressuscitou! Estou pregando? Estou parecendo uma daquelas evangélicas alienadas? Me desculpe, mas acreditar no nada após a morte, simplesmente não acreditar no após, é tudo o que NÃO SOU. Eu não acredito nisso. Eu PRECISO acreditar em algo além, assim como os hebreus castigados pela escravidão clamavam pela liberdade eu clamo pelo depois, assim como se espera pela cura do câncer e da aids eu espero pelo depois! Assim como o povo ansiava pelo Salvador, eu anseio pela minha vida e no final a vida e Ele são as mesmas coisas. Se eu não consigo viver bem convivendo com esse medo de morrer, com esse medo de não ter algo a mais, então não vivo. Sobrevivo. Vivo mal. Não sou feliz. Mas Ele me dá outra alternativa, Ele me dá a verdade, Ele me diz: "Eu sou a esperança, Steffi! Não acaba aqui! Fique calma, por enquanto viva!" Ele é quem me diz isso, é Ele quem me dá vida! Porque eu não vivo bem se eu não crer nisso, porque se eu não crer nisso eu não creio mais em nada. E do Nada eu tenho medo.

Foi a resposta mais triste que eu já ouvi porque não concebo que um homem tão bom aparentemente, com uma história tão bonita tenha simplesmente se rendido ao nada. Não entendo como é suportar isso, como é aceitar isso. Eu queria ter eficiência pra poder demonstrar tudo o que eu sinto por Jesus, mas eu admito: não sou um bom exemplo, não sou a filha perfeita nem dos meus pais nem Dele, mas o amor que eu tenho é tão forte, a vontade que eu tenho é tão grande e tudo o que eu sou e o que faço está tão intimamente e às vezes estranhamente ligado a Ele que eu simplesmente choro somente em lembrar. Choro enquanto escrevo esse post, choro quando lembro do que Ele fez por mim, choro porque a morte dele parece que se tornou uma coisa tão corriqueira pra algumas pessoas que esquecem que doeu nele. Que doeu ser pregado, que doeu ficar com sede, que doeu ser chicoteado, que doeu aguentar ver as pessoas que tanto amava simplesmente irem em direção ao nada.

E é assim que eu me sinto quando vejo alguém profundamente desacreditado. É assim que eu me sinto quando eu vejo alguém perdido. Quando vejo alguém feliz, mas por uma coisa tão efêmera.. Quem dera eu pudesse transmitir bem tudo o que eu sinto. Quem dera eu pudesse escrever da melhor maneira possível tudo o que passa pela minha cabeça quando estou no meio de pessoas que eu sei que não acreditam, mas que eu amo e fico pensando: "Meu Deus, elas não podem morrer sem crer!" Minha dor não é tão forte quanto a que ele sentiu por nós, mas me dói, me enche de medo.

Eu sei que é meio complicado entender isso tudo, eu mesma não entendo uma boa parte às vezes. Mas por favor, deem uma chance a Jesus. Não é Jesus que precisa dar uma chance e digo isso não porque ele é soberano (mas ele é soberano) e sim porque ele não precisar dar essa chance, essa chance já foi dada, está dada! É nossa vez. Deem uma chance a Jesus. Assim como procuram incessantemente por informações a respeito da sua banda ou cantor favorito, assim como buscam curiosidades sobre o filme, sobre o livro, sobre a novela, busquem. Busquem sobre a pessoa que Jesus é! Não se atenham a debates teológicos, não queiram viver coisas sobrenaturais, não procurem Jesus procurando a casa ou o carro, simplesmente aceitem conhecê-Lo. Ouça sua conversa, descubra quem ele é.

3 comentários:

Priscila Fialho disse...

Surpreendente Steffi! O nada não é nada não menina, Jesus é que é tudo!!! rsrs brincadeiras à parte, adorei o seu texto. Não dá pra não esperar algo além da vida depois de conhecer Jesus, Ele nos deu essa esperança e é isso que nos move, nos alimenta. Beijinhos, escrituária :)

Mariana Guimarães disse...

também tenho medo da morte mas quem não tem? as vezes penso que o medo é o que me faz querer acredita que realmente há algo...
pois seria muito pior se eu simplismente não acredita - se. sabe é bom pensar que tem alguem que pode mudar as coisas principalmente quando estamos em dificuldades! não é verdade?
beijos da Mari

www.amostradelivros.blogspot.com.br

Helaina_One disse...

Acredito que tenha algo depois dessa vida, mas se não tiver também estou tranquila quanto à isso.
Farei sempre o melhor e confiarei em Jesus. Não vou ficar pensando o que é real ou não. Afinal, só vou saber o que acontece depois da morte quando eu morrer. Eu não tenho medo nenhum de morrer, mas não estou com nenhum pouquinho depressa. Hihi

Adorei seu blog!
Já estou seguindo!

Tem post novo no meu blog:
http://hipercriativa.blogspot.com.br/

Passe por lá para ler e comentar!
Desde já agradeço a visita!!

Beijusss;