"Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos." (Salmo 119:10)

terça-feira, 17 de julho de 2012

Memórias do Subsolo - Fiódor Dostoiévsky


Faz um tempo que li este livro, mas sempre o recomendo! Nunca fiz resenha pra colocar em blog, como vejo em muitos (um dia talvez, com mais paciência, quem sabe?), por enquanto, destaco alguns trechos e deixo que um esboço da leitura conquistem mais admiradores como eu. (Veja o livro no Skoob.)

"Mas - pela centésima vez vos repito isto - existe um único caso, sim, apenas um, em que o homem pode intencional e conscientemente desejar para si mesmo algo nocivo e estúpido, sem estar comprometido com a obrigação de desejar apenas o que é inteligente. Isto é de fato, estupidíssimo, é um capricho, mas realmente, senhores, talvez seja para a nossa gente, o mais vantajoso de tudo quanto existe sobre a terra, sobretudo em certos casos. E, em particular, talvez seja mais vantajoso que todas as vantagens, mesmo no caso de nos trazer um prejuízo evidente e de contradição às conclusões mais sensatas à nossa razão, a respeito de vantagens; pois, em todo caso, conservamo-nos o principal, o que nos é mais caro, isto é, a nossa personalidade e a nossa individualidade. Alguns afirmam que isto constitui de fato o que há de mais caro para o homem; a vontade pode, naturalmente, se quiser, concordar com a razão, sobretudo se não se abusar desse acordo e se ele for usado moderadamente; isto é útil, e às vezes, até louvável. Mas a vontade, com muita frequência e, na maioria dos casos, de modo absoluto e teimoso, diverge da razão, e... e... sabeis que até isto é útil e às vezes muito louvável?"

Ah, sim! Na maioria das vezes o que desejamos não é nada racional, mas ainda sim fazemos justamente isso. É por isso que somos humanos, que somos ditos racionais, porque até o IRracional podemos escolher (pelo menos em tese).

"Concordo: o homem é um animal criador por excelência, condenado a tender conscientemente para um objetivo e a ocupar-se da arte da engenharia, isto é, abrir para si mesmo um caminho, eterna e incessantemente, PARA ONDE QUER QUE SEJA. Mas talvez precisamente por isto lhe venha às vezes uma vontade de se desviar, justamente por estar condenado a abrir esse caminho, e talvez ainda porque, por mais estúpido que seja um homem direto e de ação, ocorre-lhe às vezes que o caminho vai quase sempre PARA ALGUMA PARTE, e que o principal não estar em saber para onde se dirige, mas simplesmente em que se dirija, e em que a criança comportada, desprezando a arte da engenharia, não se entregue à ociosidade destruidora, que, como se sabe, é mãe de todos os vícios. O homem gosta de criar e de abrir estradas, isto é indiscutível."

"Embora tenha afirmado, no início, que a consciência, a meu ver, é a maior infelicidade para o homem, sei que ele a ama e não a trocará por nenhuma outra satisfação. A consicência, por exemplo, esrá infinitamente acima do dois e dois, certamente, nada mais restará, não só para fazer, mas também para conhecer. Tudo o que será possível, então, será unicamente, calar os cinco sentidos e imergir na contemplação. Bem, com a consciência obtém-se o mesmo resultado, isto é, também não haverá nada a fazer; mas pelo menos poderemos espancar a nós mesmos, de vez em quando, e isto, apesar de tudo, infunde ânimo. Ainda que seja retrógrado, é sempre melhor que nada."

Pura fenomenologia! Puro existencialismo! (sou estudante de psicologia, pronto, tá explicado).

"Destruí os meus desejos, apagai meus ideais, mostrai-me algo melhor, e hei de vos seguir."

Minha parte preferida de todo o livro! Se fores CAPAZ, tente destruir meus desejos, tente apagar meus ideais, se você conseguir me dá algo melhor eu lhe seguirei! Se conseguir!

"Estou certo de que a nossa gente de subsolo deve ser mantida à rédea curta. Uma pessoa assim é capaz de ficar sentada em silêncio durante quarenta anos, mas, quando abre uma passagem e sa para a luz, fica falando, falando, falando..."

"O homem, às vezes,ama terrivelmente o sofrimento, ama-o até à paixão, isto é um fato."
fato.

Sobre Dostoiésvki(y): Fiodor Mikhailovich Dostoievski foi uma das maiores personalidades da literatura russa, tido como fundador do Realismo. Entre suas obras destacam-se: "Crime e Castigo", "O Idiota", "O Jogador", "Os Demônios", "O Eterno Marido" e "Os Irmãos Karamazov". Publicou também contos e novelas. Criou duas revistas literárias e ainda colaborou nos principais órgãos da imprensa russa. Seu reconhecimento definitivo como escritor universal surgiu somente depois dos anos 1860, com a publicação dos grandes romances: "O Idiota" e "Crime e Castigo". Seu último romance, "Os Irmãos Karamazov", é considerado por Freud como o maior romance já escrito.( Fonte)

8 comentários:

Tatiane disse...

Oi, então o livro parece interessante, mas confesso que é bem provável que eu não leia ): KKK ele é bem filosofo no sentindo literalmente kkk Foi o que eu achei...eu li e me senti nas aulas de filosofia. kkk gostei da resenha! :D

Aline Raquel disse...

Eu sempre fui LOUCA para ler um livro dele e esses trechos só despertou ainda mais isso. Amei, eu gosto de filosofia, amo, na verdade e tentarie lê-lo o mais rápido possível.

Parabéns pelo blog, até mais!

thesongoftheletters.blogspot.com

Sofia disse...

Parece interessante :3

Beijos!
Sofia.
Livros e Feitiços
vida-de-garota-brasil.blogspot.com

Marília disse...

Poxa fico imensamente feliz quando entro em um blog e me deparo com livros desse porte, não vejo mais as pessoas (jovens) lendo esse tipo de literatura, Dostoiévski tem um grande significado pra mim, eu nunca tive alguém me iniciasse aos livros, descobri sozinha, idas e mais idas a biblioteca a cerca de uns 9 anos atras, e lia livros sem saber quem eram os autores, certa vez li o "O Jogador" e a história forte me impressionou, a partir dai descobri a figura desse autor, cujo sofrimento era preciso para escrever, de fato é um mergulho na alma do ser humano, nas profundezas daquilo quem nem todos estão dispostos a mostrar ou escondem. Dostoiévski está entre os primeiros dos meus favoritos.

Juliana Severo disse...

Nunca tentei ler um livro tão reflexivo, mas sempre posso abrir esse caminho, não é? Foi realmente um texto muito intenso e me despertou vontade de analisar o livro e o assunto mais profundamente.
Beijos, Juh
http://umceudeletras.blogspot.com/

Maritza Bom disse...

Olá, gostei muito da opção de leitura! Li recentemente um livro que dentre outras continha essa estória, apesar de ter sido meu primeiro contato com o autor, gostei bastante e muito provavelmente vou ler outros títulos dele!
Fiquei interessada em conhecer "Crime e Castigo", um livro do qual só leio ótimas observações!

Parabéns pelo blog!

até mais!


Prólogo da Leitura

Desejos de Sábado disse...

Já me recomendaram vários livros com psicologia, mas nunca parei para ler um. Tenho medo de acabar não entendendo o contexto da história, mas vou me arriscar um dia. Quem sabe eu não comece com Memórias do Subsolo?

Beijos,
Gabriel
http://desejosdesabado.blogspot.com.br/

Lia disse...

Aaah, que legal!!
Eu tenho Crime e Castigo aqui me esperando pra ler! Este também parece ser bem legal! Os trechos que você postou me deixaram curiosa!!
beijão!!