"Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos." (Salmo 119:10)

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Uma vida medíocre.



Tenho muito medo desse acordar inútil ser uma constante. Acordar, olhar pro teto e fazer o de sempre (ou então nada) sem o menor entusiamo. Perder as forças de ler um livro, perder a vontade de sair, sair na marra e voltar cedo, não comer direito... É a pior sensação, é o pior jeito de continuar vivo, porque essa vida se resume a isso mesmo: só continuar vivo. E é muito chato fazer as coisas assim, porque quando se vive dessa maneira, sem saber como você vai estar amanhã ou depois, não tem como marcar nada, não existe certeza. Só dá vontade de ficar em casa. E até dá vontade de sair às vezes, mas parece que tanta coisa te impede... O pior de tudo é que você começa a cair nas armadilhas das antigas tristezas, das mágoas que ficaram guardadas. Você pensa naqueles amigos que sumiram, nas coisas que aquelas pessoas falaram de você, nas coisas que você não fez, nas respostas que você não deu, nas coisas que você falou, mas não deveria ter falado. Não é bom. Não faz bem. Como sair dessa situação? Não sei. Ainda não consegui me desvencilhar. As coisas perderam o sentido pra mim, a única certeza que eu realmente tenho é Deus, porque se mais nada nessa vida tem sentido, pra que viver? Por isso eu acredito e amo muito meu Deus, meu Jesus. Ele é que sustenta minha vontade de estar viva, mesmo sem saber como e por quê. Se eu não acredito nem tenho vontade mais pra nada, preciso então me segurar em algo que esteja além daqui! Pra continuar vou assumindo compromissos, cumprindo-os de forma medíocre, preenchendo o máximo que eu posso esse meu tempo. É minha fuga.

2 comentários:

Mariana de Castro disse...

Apenas "sobreviver" não é exatamente a melhor escolha quando se tem a opção de "viver". E certamente não é o que Deus quer pra nós. Ele nos dá sonhos novos, amigos novos, palavras novas. Prima, tudo tem uma razão de ser, mesmo o que aparentemente é um deserto improdutivo =)

"Nada te perturbe, nada te espante, tudo passa! Só Deus não muda. A paciência, por fim, tudo alcança. Quem a Deus tem, nada lhe falta, pois só Deus basta." Santa Teresa D'Avila

Roberto Carvalho disse...

Bem existencial, gostei.

Tenho em mente que o sentido de todas as coisas não nos faz sentido.

Somente as coisas particulares e contingentes nos fazem sentido.

Se busca o sentido de tudo não encontrarás.

Por isso não ver sentido é coisa de espíritos almejantes, pois não se contentam com o aparente.

O "não-sentido" não é em se ruim, pois para mim ele é objeto de contemplação, e no caso já ganhou um sentido.