"Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos." (Salmo 119:10)

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Agradeça pelos detalhes



Outro dia li um texto que falava sobre fazer um agradecimento por dia. É um exercício de, ao final do dia, olhar o que aconteceu e agradecer por algo. Este exercício aparentemente é muito simples de ser feito, mas bem sabemos que não são todos os dias que fazemos isso, ainda mais sabendo que há dias em que nada dá certo, há dias em que saímos com nossa agenda toda organizada com as coisas que temos que fazer, perambulamos para cima e para baixo, enfrentamos trânsitos e pessoas grossas em atendimentos e no fim de tudo nada se resolve. Fala sério, você nunca teve um dia ruim assim?
Eu já tive vários. Vários desses dias onde não consegui resolver nada, ou dias que não são nada produtivos, em que não consegui avançar na tarefa do meu trabalho, no meu projeto, na dieta, não importa. Estes são os dias em que julgamos que não há nada para agradecer. Mas sempre tem. Hoje, entretanto, até agora (16:50) eu já tenho várias coisas para agradecer. E uma delas é agradecer pela capacidade de ter percebido isso, capacidade que sei que não vem de mim. Muitas pequenas coisas hoje aconteceram comigo que me deixaram sorridente. Almocei com um colega que gosto muito, li um e-mail que me deixou sorrindo boba em frente à tela do computador, ouvi uma música deliciosa e linda, todas as minhas ideias foram acatadas pela minha orientadora (enfim, formando!) e magicamente recebi um desenho. Sim, um desenho.

Quando estou no ônibus, se não estou conversando com alguma pessoa que está me acompanhando, estou lendo (pego 4 transportes coletivos por dia e percebi que esse é o melhor tempo que tenho para ler). Hoje, enquanto lia, uma mão, repentinamente, estende um pedaço de papel para mim, por um momento pensei que era uma dessas pessoas que vendem coisas nos ônibus, mas quando levantei o rosto, era um desenho. Um pintinho abraçando uma lima (a fruta). Virei para o lado e a pessoa que me deu o desenho era um colega que estudou comigo no segundo ano do ensino médio, que eu não via há anos, inclusive, ele já estava descendo, falei o nome dele meio sem acreditar: "Pedro!". E ele respondeu: "É o desenho que tu pediu pra eu fazer uma vez." E desceu. Simples. Fim.

Eu recebi hoje um desenho que pedi há sete anos. Não sei por que ele não me entregou antes. Também fiquei me perguntando como era possível que ele andasse com esse desenho por se anos dentro de uma pasta. Eu só sei que recebi o meu desenho depois desse tempo todo. Pra quem achar estranho o desenho que pedi, explico, representa o sobrenome da minha família. Sete anos. Tão rápido quanto um piscar de olhos, ele me entregou e desceu. Não teve abraço, não teve um "obrigada" da minha parte, não teve tempo de nada, fiquei pasma e sorrindo feito uma pateta no busão. Não éramos melhores amigos, tampouco éramos próximos, mas ele era uma pessoa que eu gostava, mal conversávamos, mas havia muita gentileza e cordialidade entre nós. Quantas vezes coisas assim, pequenas e tão carinhosas, acontecem com a gente? Coisas assim de pessoas que não esperamos? E quantas vezes nos damos conta de que são coisas especiais e que precisamos agradecer por elas?

Muitos esperam que todo dia algo grandioso aconteça para que se agradeça por isso. Alguns pedem por um dia mais simples, mais tranquilo, pra agradecer por isso. Eu espero reconhecer todos os dias a delicadeza em algum gesto que pequeno e agradecer por isso. O importante é que ao final do dia façamos esse exercício de agradecer. Nem que no mínimo seja agradecer a possibilidade de no dia seguinte tentar fazer de novo.

Um comentário:

Bárbara Martins disse...

Ler teu texto me fez pensar nesses últimos dias e perceber uma infinidade de situações que me alegraram, mas que na hora foram tão breves. Lembrar me fez viver novamente essas pequenas alegrias. ^_^
Agradeço, Steffi! :)